Quem decide sobre asilo a Snowden é Dilma, diz Ideli

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Em carta, autor de vazamento de espionagem dos EUA oferece ajudar governo brasileiro em troca de asilo político

A ministra-chefe da Secretaria de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, evitou se posicionar sobre a carta do ex-técnico da CIA Edward Snowden, acusado de espionagem por vazar informações sigilosas de segurança dos EUA.

Conheça a home do Último Segundo

Elza Fiúza/ ABr
A ministra da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República, Ideli Salvatti (foto de arquivo)

Por asilo: Snowden oferece ajuda ao Brasil contra espionagem dos EUA

Carta ao Brasil: Espionagem indiscriminada dos EUA está ruindo, diz Snowden

Na mensagem divulgada nesta terça-feira pelo jornal Folha de S.Paulo, Snowden afirma ter a intenção de ajudar o Brasil a investigar as atividades de espionagem da Agência Nacional de Segurança (NSA, na sigla em inglês) em território brasileiro, mas, para tanto, precisaria do asilo político.

Saiba mais: Relembre as principais denúncias sobre os programas de espionagem

"Quem decide isso (o asilo) é a presidente", disse a ministra Ideli, durante café da manhã com jornalistas, no Planalto. Lembrada que foi lançada uma campanha na internet para que a presidente Dilma Rousseff atenda ao pedido de Snowden, a ministra Ideli se esquivou: "A gente acompanha (a torcida)", insistindo que quem decide é a presidente.

Rede Avaaz: Campanha coleta assinaturas por asilo de Snowden no Brasil

No Planalto, esse assunto é considerado delicado e já havia sido discutido anteriormente. Em julho, quando Snowden pediu asilo a 21 países, entre eles o Brasil, o Ministério das Relações Exteriores anunciou que não responderia ao pedido do ex-funcionário da agência de espionagem dos EUA.

De volta ao tema, a ideia inicial é manter a mesma postura e evitar entrar nessa briga, já que ela implicaria em novos problemas com os EUA.

*Com Agência Estado

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas