Ativistas protestam contra criminalização do sexo entre gays na Índia

Por AP |

compartilhe

Tamanho do texto

Manifestantes usavam braçadeiras negras e agitavam bandeiras e faixas cor de arco-íris. Algumas pessoas vestiam máscaras e perucas para preservar a identidade

AP

AP Photo/Tsering Topgyal
Comunidade gay do país exige que o governo tome medidas imediatas

Centenas de ativistas dos direitos dos homossexuais se reuniram, neste domingo (15), na capital da Índia, Nova Déli, e m outras cidades do país para protestar contra uma decisão da Suprema Corte que criminaliza o sexo gay.

Conheça a nova home do Último Segundo

Entenda: Índia decide restabelecer lei que criminaliza relação homossexual

O órgão decidiu na semana passada reverteu uma decisão de 2009, que havia descriminalizado a relação entre pessoas do mesmo sexo. A comunidade gay do país exige que o governo tome medidas imediatas para eliminar a lei da era colonial. Cerca de 800 manifestantes na capital usavam braçadeiras negras e agitavam bandeiras e faixas cor de arco-íris. Algumas pessoas usavam máscaras e perucas para proteger sua identidade . Eles dizem que a decisão da Suprema Corte evocou raiva e desgosto entre a população.

A comunidade gay afirmou ainda que estuda tomar medidas legais para anular a decisão do tribunal e que o protesto foi para fazer suas vozes serem ouvidas. "É o meu direito fundamental de decidir quem eu devo amar", disse Rohan Mehta, um homem de negócios de Nova Déli que estava entre os manifestantes. "Eu não vou deixar o tribunal me privar dos meus direitos."

Leia mais sobre o tema:

Tortura e assassinato reacendem discussão sobre homofobia na Rússia

Fascistas criaram 'ilha gay' para confinar homossexuais

Antigas leis homofóbicas ainda perseguem muitos gays na Alemanha

A justificativa da Suprema Corte é que apenas o Poder Legislativa poderiam mudar a lei, que, ainda prevê punição de até dez anos de prisão para quem tiver relações com pessoas do mesmo sexo. A decisão foi um golpe para os ativistas gays que lutam por anos para ter a chance de viver assumidamente na sociedade conservadora da Índia.

Leia tudo sobre: IGAYiGayhomossexuaisÍndia

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas