Jang Song Thaek, antes considerado número 2 do regime, conspirava para derrubar governo, disse a agência estatal

Reuters

A Coreia do Norte afirmou nesta sexta-feira (horário local) que Jang Song Thaek , tio do líder Kim Jong-un e anteriormente considerado o segundo homem mais poderoso no recluso país, foi executado depois que um tribunal militar especial o considerou culpado de traição.

Conheça a nova home do Último Segundo

Dia: Mentor de líder norte-coreano é expulso do regime por 'vida depravada'

Homem assiste a programa de TV mostrando Jang Song Thaek, tio do líder Kim Jong-un, ser escoltado por militares durante julgamento na Coreia do Norte
AP
Homem assiste a programa de TV mostrando Jang Song Thaek, tio do líder Kim Jong-un, ser escoltado por militares durante julgamento na Coreia do Norte

Mentor:  Tio de líder da Coreia do Norte teria sido deposto

Perfil: Tio de líder já foi homem forte na Coreia do Norte

"O acusado Jang reuniu forças indesejáveis e chefiou uma facção por um longo tempo e, portanto, cometeu tal crime hediondo na tentativa de derrubar o Estado", afirmou a agência oficial de notícias KCNA.

O jornal oficial Rodong Sinmun exibiu na edição de sexta-feira uma foto de Jang algemado e ao lado de guardas uniformizados durante um julgamento.

Mais cedo nesta semana, a Coreia do Norte afastou Jang de todos os seus cargos, o acusando de vários crimes, incluindo má gestão do sistema financeiro estatal, além de ser mulherengo e abusar de álcool.

"Desde há muito tempo, Jang tinha uma ambição política suja. Ele não se atreveu a levantar a cabeça quando Kim Il-sung e Kim Jong-il estavam vivos", disse a KCNA, referindo-se ao avô e pai do atual líder Kim, que governaram anteriormente a dinastia.

"Ele começou a revelar suas verdadeiras cores, pensando que era apenas o seu tempo de exibir sua ambição selvagem no período de transição histórica em que a geração da revolução foi substituída."

A execução põe fim à queda espetacular do marido da tia de Kim. Jang já havia sofrido expurgos, mas voltou ao círculo de poder para ocupar cargos influentes no partido do governo e no Exército.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.