Cameron diz ter considerado força de união de Mandela ao aceitar pedido para foto: 'Seria educado dizer sim'

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, disse nesta quarta-feira que estava sendo apenas educado quanto posou sorridente para uma "selfie" (autorretrato na linguagem das redes sociais) com o presidente dos EUA, Barack Obama, e a primeira-ministra da Dinamarca, Helle Thorning-Schmidt, durante a cerimônia de homenagem a Nelson Mandela na África do Sul.

Conheça a home do Último Segundo

Fotógrafo:  Mulher de Obama não estava aborrecida com 'selfie'

A afirmação foi feita após críticos afirmarem que a cena era uma mostra de desrespeito. Muitos tabloides britânicos estamparam a foto em suas capas nesta quarta-feira. Brincando com a expressão "self respect" (respeito próprio), o The Sun publicou a manchete: "No selfie respect." Para o tabloide, a foto seria uma gafe e uma demonstração de falta de respeito com o político sul-africano.

Na África do Sul: Conversa de Obama com premiê parece incomodar Michelle

Quando questionado sobre isso na sessão semanal de perguntas ao primeiro-ministro no Parlamento britânico, Cameron disse em meio às risadas dos parlamentares que Mandela uniu as pessoas - então pensou que "seria educado dizer sim" para o pedido de foto feita por Thorning-Schmidt, a nora do ex-líder do Partido Trabalhista Neil Kinnock.

Galeria de fotos: Carisma de Obama faz sucesso entre as mulheres

"Você deve sempre lembrar que as câmeras de TV estão sempre ligadas", disse o premiê ao Parlamento. "Em minha defesa, eu diria que Nelson Mandela teve um papel extraordinário na sua vida e na sua morte em unir as pessoas."

Um porta-voz do primeiro-mininistro afirmou que o evento havia sido mais uma "celebração" da vida de Mandela do que um funeral, que será no domingo. Do outro lado do Atlântico, o New York Daily News afirmou que o comportamento de Obama havia sido impróprio.

*Com Reuters e AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.