Intérprete de sinais usado em cerimônia para Mandela era falso, diz federação

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Entidade de surdos diz que gestos feitos por 'impostor' não faziam sentido; governo sul-africano deve comentar caso

O responsável pela tradução de sinais durante a cerimônia de homenagem a Nelson Mandela, em Johanesburgo, era um impostor. A acusação foi feita na terça-feira pela Federação dos Surdos da África do Sul. O evento contou com a participação de milhares de sul-africanos, celebridades e dezenas de chefes de Estado e outras autoridades.

Conheça a nova home do Último Segundo

Sede do governo: Corpo de Mandela começa a ser exposto na África do Sul

AP
Homem que seria o impostor ao lado do presidente dos EUA, Barack Obama

O homem ainda não identificado foi visto participando da cerimônia, que foi transmitida por diversas emissoras internacionais. Ele ficou ao lado, por exemplo, de Barack Obama, presidente dos Estados Unidos. "Ele movia suas mãos para todos os lados, mas os gestos não tinham nenhum significado", explicou Bruno Druchen, diretor nacional do órgão, à AP.

Saiba mais: Leia todas as notícias sobre a morte de Mandela

Terça: Líderes mundiais e milhares de sul-africanos honram Mandela

O governo sul-africano informou à AP que está preparando um comunicado com um posicionamento sobre o caso. Jackson Mthembu, porta-voz da instituição, recusou-se a comentar o incidente. Duchen e outros dois especialistas em línguas de sinais disseram que o tradutor não fazia nenhum movimento conhecido na África do Sul ou na América.

Nicole Du Toit, um intérprete de sinais que assistiu ao evento pela TV, disse que o impostor foi motivo de vergonha. "Foi horrível, um circo, muito ruim. Apenas ele poderia entender os gestos que fazia."

Ato para Mandela teve 'selfie' de líderes; veja imagens da cerimônia

Presidente dos EUA, Barack Obama (D), tira selfie com premiês da Dinamarca, Helle Thorning Schmidt (C), e do Reino Unido, David Cameron , em cerimônia por Mandela. Foto: Getty ImagesMenino com o rosto pintado durante tributo ao ex-presidente da África do Sul, Nelson Mandela. Foto: APA presidente Dilma Rousseff chega ao Estádio FNB. Ela foi uma das oradoras da cerimônia a Nelson Mandela. Foto: ReutersO presidente dos EUA, Barack Obama, desembarca ao lado de Michelle Obama. Foto: APRosto de Nelson Mandela é visto em telão durante serviço em sua memória no Estádio FNB, em Johanesburgo. Foto: APGraça Machel, viúva de Nelson Mandela, durante a cerimônia de homenagem ao ícone antiapartheid
. Foto: APA atriz sul-africana Charlize Theron e o cantor Bono são vistos no estádio. Foto: APImagem do ex-presidente Nelson Mandela, que morreu aos 95 anos, é vista. Sob chuva, milhares de sul-africanos acompanharam as cerimônias. Foto: APBarack Obama e sua esposa, Michelle Obama, olham folheto oficial durante a cerimônia de homenagem a Mandela. Foto: ReutersPresidente Dilma Rousseff acena ao chegar a cerimônia de memória a Nelson Mandela. Ela foi uma das oradoras da homenagem. Foto: APApesar da chuva, milhares de sul-africanos foram ao estádio homenagear o ícone antiapartheid. Foto: ReutersDilma observa o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, cumprimentar o presidente cubano, Raul Castro . Foto: ReutersDurante a cerimônia, presidente Obama se encontra com o presidente cubano, Raúl Castro, e aperta sua mão no Estádio FNB em Soweto. Foto: APSul-africanos acompanham discurso de Obama. O presidente dos Estados Unidos disse que Nelson Mandela foi um "gigante da história" e o "último grande libertador do século". Foto: APA ex-secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton cumprimenta o ex-primeiro-ministro britânico John Major . Foto: APObama beija a viúva de Nelson Mandela, Graça Machel, durante a cerimônia em memória ao ex- memorial para o ex-presidente. Foto: APMulher segura imagem de Nelson Mandela e se emociona durante tributo ao ícone antiapartheid. Foto: APPresidente sul-africano, Jacob Zuma, fará o principal discurso da cerimônia. Ele foi vaiado pelos presentes. Foto: ReutersO ex-primeiro-ministro britânico John Major, centro, cumprimenta o ex-presidente dos EUA, George W. Bush. Mais a frente, o também ex-presidente dos EUA, Bill Clinton. Foto: APSul-africanas abraçam imagem de Nelson Mandela durante uma cerimônia em Johanesburgo em homenagem ao ex-presidente. Foto: ReutersA rainha Rania, da Jordânia, também esteve presente na cerimônia que lembrou o ex-presidente Nelson Mandela. Foto: ReutersHomem segura foto de Mandela ao entrar no estádio. Foto: APPresidente da Nigéria, Goodluck Jonathan, chega ao estádio para acompanhar o tributo. Foto: ReutersSecretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, e o presidente sul-africano, Jacob Zuma, acompanha homenagem. Foto: APDurante a cerimônia de homenagem a Nelson Mandela, mulher lê um jornal. Milhares acompanharam tribuno. Foto: ReutersA modelo Naomi Campbell chega ao Estádio FNB em Soweto, onde o ex-presidente Nelson Mandela receberá homenagens que fazem parte do seu funeral. Foto: APO ex-presidente da França Nicolas Sarkozy e seu sucessor, François Hollande, participam da cerimônia. Na foto, acima, primeiro-ministro italiano Enrico Letta e sua esposa. Foto: ReutersSul-Africanos aguardam em portão para participar de homenagem ao ex-presidente Nelson Mandela, que morreu aos 95 anos. Foto: ReutersSob chuva, grupo chega para acompanhar homenagem a Mandela. Foto: APMulheres posam ao chegar no Estádio Soccer City . Foto: APPresidente dos Estados Unidos, Barack Obama, foi um dos oradores da cerimônia. Foto: APMultidão começa a lotar o Estádio FNB (Soccer City) em Soweto. A chuva que caia  afastou muitos da cerimônia. Foto: ReutersPresidente da Índia, Pranab Mukherjee, chega ao evento em memória de Nelson Mandela. Foto: AP
Winnie Mandela, ex-mulher do ex-presidente, é vista no Estádio FNB (Soccer City) em Soweto, onde acontecem as homenagens
. Foto: Reuters


compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas