Dia de preces e reflexão dá início à semana de luto que terá homenagem em estádio antes de enterro no dia 15

Até o momento, 59 líderes de Estado e de governos comunicaram que participarão da cerimônia memorial ou do funeral de Nelson Mandela na África do Sul na próxima semana, disse o porta-voz do Ministério do Exterior à Reuters.

Conheça a home do Último Segundo

Silhueta de admirador de Mandela é vista em frente de janela com imagem de ex-presidente sul-africano na Igreja Regina Mundi, em Soweto (8/12)
AP
Silhueta de admirador de Mandela é vista em frente de janela com imagem de ex-presidente sul-africano na Igreja Regina Mundi, em Soweto (8/12)

Reflexão: África do Sul homenageia Mandela com dia nacional de preces

Saiba mais: Leia todas as notícias sobre a morte de Mandela

Um serviço nacional em memória de Mandela será realizado na terça-feira no Estádio FNB (Soccer City), em Johanesburgo. A presidente Dilma Rousseff participará do evento acompanha pelos ex-presidentes José Sarney (1985-1990), Fernando Collor de Mello (1990-1992), Fernando Henrique Cardoso (1995-2002) e Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2010).

O presidente dos EUA, Barack Obama, também estará presente com a primeira-dama americana, Michelle Obama, e os ex-presidentes George W. Bush (2001-2009) e Bill Clinton (1993-2001). O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, também viajará a Johanesburgo para o evento.

Galeria de fotos: Veja imagens de Mandela, ex-presidente da África do Sul

Infográfico: Nelson Mandela e a África do Sul

O porta-voz disse que o número final dos líderes que atenderão à cerimônia de terça-feira em Johanesburgo ou do funeral em Qunu no próximo domingo será confirmado posteriormente.

Menina reza durante serviço religioso para o ex-presidente Nelson Mandela na Igreja Regina Mundi, em Soweto (8/12)
Reuters
Menina reza durante serviço religioso para o ex-presidente Nelson Mandela na Igreja Regina Mundi, em Soweto (8/12)

Com hinos e louvores, os sul-africanos de todas as cores e credos relembraram Mandela em um dia de orações neste domingo, mantendo-o como exemplo para construir uma nação e um mundo melhores.

Ícone antiapartheid: Morre aos 95 anos Nelson Mandela

'Mulherengo': As mulheres que amaram Mandela

Nas igrejas, mesquitas, sinagogas e centros comunitários em todo o país, desde o rio Limpopo até o Cabo, milhões ofereceram louvores e refletiram sobre um homem celebrado como "Pai da Nação" e como um farol global de integridade, retidão e reconciliação.

Mandela, o primeiro presidente negro da África do Sul que conduziu a saída de seu país do apartheid para uma democracia multirracial, morreu na quinta-feira aos 95 anos.

'Herói', 'símbolo' e 'modelo': Mandela é unanimidade na imprensa mundial

Força das palavras: Frases de Mandela que marcaram o mundo

Desde então, a África foi tomada por uma onda de emoção inigualável desde a libertação de Mandela após 27 anos de prisão, em 1990. Os olhos do mundo estão voltados para sua casa em Johanesburgo, onde multidões deixam flores, balões e mensagens.

Veja as imagens das homenagens a Mandela na África do Sul:

Na igreja Regina Mundi em Soweto, a maior Igreja Católica da África do Sul, centenas de pessoas, jovens e velhos, se reuniram para orar por Mandela e o futuro da nação.

Rúgbi: Pelo esporte, Mandela uniu negros e brancos na África do Sul

"Estamos rezando para ambos", disse Gladys Simelane, gerente de escritório. "As pessoas estão rezando para que venha uma mudança, e nós estaremos juntos."

*Com Reuters

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.