Medida é tomada após Pequim anunciar há duas semanas zona que inclui áreas em disputa com Tóquio e Seul

Reuters

A Coreia do Sul informou neste domingo que estendeu sua zona de defesa aérea, parcialmente sobrepondo-se à zona semelhante declarada pela China há duas semanas , que intensificou fortemente as tensões regionais.

Conheça a nova home do Último Segundo

Chefe de políticas do Ministério da Defesa da Coreia do Sul, Jang Hyuk, dá coletiva em Seul
AP
Chefe de políticas do Ministério da Defesa da Coreia do Sul, Jang Hyuk, dá coletiva em Seul

Analistas: Zona de defesa aérea chinesa aumenta risco de guerra na região

A declaração unilateral de Pequim de uma zona de identificação de defesa aérea em uma área que inclui ilhas no coração da disputa terriotrial com o Japão desencadeou protestos dos EUA, além do Japão e da Coreia do Sul, aliados próximos.

Anunciando a expansão de sua própria zona para incluir duas ilhas territoriais ao sul e uma pedra submersa da qual a China também alega soberania, o Ministério da Defesa da Coreia do Sul disse que a manobra não vai infringir sobre a soberania dos países vizinhos.

"Acreditamos que isso não vá impactar significativamente nossa relação com a China e com o Japão à medida que tentamos trabalhar para paz e cooperação no nordeste da Ásia", disse o chefe de políticas do ministério da Defesa, Jang Hyuk.

"Explicamos nossa posição a países envolvidos e, de maneira geral, eles estão de acordo que essa manobra respeita regulações internacionais e não é uma medida excessiva", afirmou, acrescentando que a prioridade do Ministério é trabalhar com os países vizinhos para evitar confronto militar.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.