Coreia do Norte liberta veterano de guerra norte-americano após sete semanas

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Merrill Newman, 85, havia sido preso em outubro acusado de ter cometido crimes durante a Guerra da Coreia

Reuters

A Coreia do Norte libertou um veterano de guerra norte-americano de 85 anos neste sábado, depois de mantê-lo detido por mais de um mês por crimes que as autoridades disseram que ele cometeu durante a Guerra da Coreia (1950-1953), há 60 anos.

Conheça a home do Último Segundo

AP
Turista americano Merrill Newman chega ao aeroporto de Pequim depois de ser libertado pela Coreia do Norte

Dia 30: Coreia do Norte acusa norte-americano de ser criminoso de guerra

O veterano Merrill E. Newman viajou da Coreia do Norte para a China durante a manhã. Horas depois ele seguiu para São Francisco, em um voo da United Airlines, para se reencontrar com a sua família, segundo fontes do aeroporto de Pequim.

A agência oficial de notícias da Coreia do Norte, KCNA, disse mais cedo que ele estava sendo deportado por razões humanitárias e porque tinha admitido o seu erro e pedido desculpas.

"Estou muito feliz por estar indo para casa", disse Newman aos repórteres japoneses assim que chegou ao aeroporto de Pequim.

"E agradeço a tolerância do governo da RDPC (República Democrática Popular da Coreia, nome oficial da Coreia do Norte) que permitiu que eu seguisse o meu caminho. Eu me sinto bem. Quero ir para casa para ver a minha mulher."

Newman falou rapidamente com a sua família após o desembarque em Pequim, disse seu filho Jeffrey em Pasadena, na Califórnia. "Ele está de excelente humor e ansioso para se reunir com a sua família", afirmou.

"Esse é um grande momento para nós, como uma família, e será ainda melhor daqui a poucas horas, quando pudermos vê-lo," acrescentou ao ler uma declaração.

"Depois que Merrill chegar em casa e tiver a oportunidade de ter um merecido descanso, teremos mais a dizer sobre a sua viagem difícil e incomum."

Newman parecia saudável nas fotos tiradas no aeroporto de Pequim. Uma testemunha da Reuters viu mais tarde funcionários da embaixada dos EUA no portão de embarque para o voo para São Francisco.

Fontes do aeroporto disseram que ele estava acompanhado por um funcionário consular dos EUA durante o voo de 11 horas e meia.

Newman foi um soldado das forças especiais durante a Guerra da Coreia e trabalhou com guerrilhas, lutando por trás das linhas, contra a Coreia do Norte comunista.

A Coreia do Norte o chamou de criminoso de guerra. "Ele planejou espionagens e atividades subversivas contra a RDPC e, desempenhando suas funções, esteve envolvido em assassinatos de funcionários do Exército Popular da Coreia e de civis inocentes", disse a KCNA.

Ele visitava a Coreia do Norte como turista, quando foi retirado de um voo da Air Koryo na Coreia do Norte, minutos antes do voo sair para Pequim no dia 26 de outubro.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas