‘Não consigo imaginar minha vida sem o exemplo de Mandela’, diz Obama

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Presidente dos EUA lamentou morte do líder sul-africano: 'Sou um dos milhões que se inspiraram em Mandela'

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, lamentou nesta quinta-feira (5) a morte do ex-presidente da África do Sul Nelson Mandela e disse que o líder sul-africano que se tornou símbolo da resistência negra e da luta contra o apartheid (regime de segregação racial) é “um exemplo para toda a humanidade”. “Perdemos um dos seres humanos mais corajosos e profundos que tivemos a oportunidade de compartilhar na Terra”, disse Obama visivelmente emocionado.

Galeria de fotos: Nelson Mandela, ex-presidente da África do Sul

Especial: Soweto reflete avanço da África do Sul quase 20 anos após Mandela

Entrevista: Apartheid deve ser perdoado, mas não esquecido

AP
Obama lamentou a morte de Mandela

O presidente dos EUA ressaltou sua admiração pelos líder sul-africano, que viveu pelo ideal de uma sociedade livre e de oportunidades iguais. Obama declarou ser “um dos milhões que se inspiraram” em Mandela e afirmou que sua primeira ação política foi o protesto contra o apartheid. “Estudei o que ele tinha escrito (...) não consigo imaginar minha vida sem o exemplo de Nelson Mandela”.

Mandela morreu nesta quinta-feira (5), aos 95 anos, em sua casa, em Johanesburgo, anunciou o presidente do país Jacob Zuma. "A nação perdeu seu maior filho", disse em pronunciamento. Ele havia sido internado no dia 8 de junho em um hospital de Pretória para tratar uma recorrente infecção no pulmão, mas continuou o tratamento em casa a partir de setembro.

Em meses recentes, o ícone da luta antiapartheid foi internado várias vezes, tendo recebido a última alta médica em 6 de abril, depois que os médicos drenaram fluidos de sua região pulmonar após diagnosticarem pneumonia.

“Madiba”, apelido pelo qual é conhecido na África do Sul, era particularmente vulnerável a problemas respiratórios desde que contraiu tuberculose durante os 27 anos em que ficou preso sob o apartheid. Em 2001, ele se recuperou de um câncer de próstata.

Leia tudo sobre: mandelanelson mandelaáfrica do sulmorte de mandela

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas