México encontra material radioativo roubado; exposição deixa ladrões em risco

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Contêiner com a substância radioativa cobalto-60, que estava em caminhão roubado, foi encontrada aberta

Um carregamento do radioativo cobalto-60 foi encontrado na quarta-feira perto do local onde um caminhão roubado com o material havia sido abandonado no centro do México, disse o diretor de segurança nuclear do país.

Conheça a home do Último Segundo

AP
Agentes policiais isolam área na vila de Hueypoxtla, México, após encontrar carga radioativa roubada (4/12)

AIEA: Caminhão com material radioativo 'perigoso' é roubado no México

A substância altamente radioativa foi removida de seu contêiner, disseram autoridades, com uma delas prevendo que os envolvidos na abertura da caixa podem estar sob grave risco de morrer dentro de poucos dias.

O cobalto-60 foi deixado em uma área rural a certa de um quilômetro de Hueypoxtla, uma cidade agrícola de cerca de 4 mil habitantes, mas não representa nenhuma ameaça ou não impõe nenhuma necessidade de retirada, disse Juan Eibenschutz, diretor-geral da Comissão Nacional de Segurança e Salvaguardas Nucleares. "Felizmente não há pessoas onde está a fonte da radioatividade", disse Eibenschutz.

Mardonio Jimenez, físico da comissão, afirmou que essa era a primeira vez que o cobalto-60 era roubado e extraído de seu contêiner. "A pessoa ou pessoas que tiraram o material da embalagem estão sob alto risco de morrer", disse Jimenez, acrescentando que a taxa normal de sobrevivência seria entre um e três dias. 

Segundo ele, ainda não há informações de que alguém tenha se internado nos hospitais da área com sinais de exposição à radiação. Ele também afirmou que aqueles que se expuseram à radioatividade não poderiam contaminar outras pessoas. "Eles (ladrões) vão ao hospital e estaremos esperando", afirmou Jimenez.

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), que foi informada assim que o roubo aconteceu, descreveu o material como extremamente perigoso e chegou a especular que poderia ser usado na construção de "bombas sujas", nas quais materiais radioativos são combinados com explosivos convencionais.

No entanto, as autoridades acreditam que o episódio não passou de um "roubo oportunista que deu totalmente errado".

Câncer

O cobalto-60 se encontrava dentro de uma máquina de radioterapia desativada que era transportada da cidade de Tijuana (norte do país) à região da Cidade do México, onde está localizado um depósito de resíduos radioativos.

Segundo a imprensa local, o caminhão de 2,5 toneladas foi roubado em um posto de gasolina em Tepojaco, no Estado de Hidalgo. O motorista disse que foi rendido por dois homens armados. Eles o teriam amarrado e deixado em um terreno baldio antes de fugirem com o veículo.

De acordo com a Agência de Proteção Ambiental dos EUA, o cobalto-60 é um metal caracterizado por emitir em energia na forma de raios gama. A radiação de um grama dessa substância é 30 vezes mais poderosa que uma quantidade equivalente de plutônio-289.

A substância tem muitos usos, que vão desde a radioterapia até a esterilização de equipamentos médicos e alimentos, mas é perigosa quando em contato com a pele e pode causar doenças graves, como o câncer.

Apesar de a maior parte das toxinas ser eliminada pelo corpo em poucas horas, certa quantidade fica armazenada nos tecidos e é absorvida pelo fígado, pelos rins e pelos ossos.

Casos de intoxicação anteriores pela substância foram relatados em 1998 na Turquia, quando dez pessoas foram tratadas após entrarem em contato com sucata contaminada por cobalto-60. Na China, três pessoas morreram ao recolher um objeto que tinha cobalto-60.

*Com AP e BBC

Leia tudo sobre: méxicoradiaçãocobalto 60

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas