Maduro sugere que sabotagem causou blecaute em 15 Estados da Venezuela

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Apagão de segunda-feira teve origem na mesma área em que falha deixou 70% do país no escuro em setembro

Uma queda de energia afetou áreas em 15 Estados venezuelanos, incluindo a capital Caracas, na noite de segunda-feira, fazendo o presidente Nicolás Maduro dizer que o episódio parecia um ato de sabotagem contra seu governo socialista. Na manhã desta terça-feira, moradores de áreas dos Estados de Zulia, Miranda, Falcón e Vargas informaram ter amanhecido sem luz.

Conheça a nova home do Último Segundo

Reuters
Pessoas caminham em rua durante blecaute em Caracas (02/12)

Setembro: Governo vê 'golpe elétrico' da oposição em apagão na Venezuela

O blecaute começou pouco depois das 20 horas, enquanto Maduro discursava sobre seu plano de reduzir a inflação combatendo a indústria automotiva. Em poucos minutos, era possível ouvir pessoas no centro de Caracas batendo em panelas em um ato de protesto.

Maduro, privado da televisão, recorreu então ao Twitter para dizer que ele e seus assessores estavam monitorando o "estranho apagão que aconteceu no mesmo local que o último ato de sabotagem".

Mais tarde, quando a energia foi restaurada em parte do país, ele ordenou que as Forças Armadas ficassem em alerta máximo para evitar ataques que, segundo ele, eram planejados por seus oponentes contra a rede elétrica e as instalações de petróleo venezuelanas.

Aliado: Videomontagem é prova de plano para matar presidente da Venezuela

Em dias recentes, Maduro alertou que seus oponentes poderiam tentar sabotar a rede elétrica para conseguir vantagens nas eleições nacionais para prefeito que ocorrem no domingo. O presidente Hugo Chávez, morto em março, costumava levantar a mesma acusação, também sem apresentar nenhuma evidência, à medida que os blecautes se tornaram mais frequentes em anos recentes.

"Esses setores do fascismo estão ficando desesperados, porque sabem que uma derrota está próxima", disse Maduro em declarações que se estenderam por mais de quatro horas.

A energia começou a ser restabelecida em Caracas depois de dez minutos da queda, e o ministro de Energia, Jesse Chacón, posteriormente afirmou à rede de televisão estatal que a eletricidade havia voltado à maior parte da cidade, mas que ainda estava ausente em várias regiões do país. O apagão teve origem na região central da Venezuela, o mesmo lugar em que uma falha de energia derrubou a eletricidade em 70% do país, afirmou.

Novembro: Congresso da Venezuela aprova lei que dá mais poderes a Maduro

"Estamos com medo", disse Olinda Reyes, uma dona de casa que foi retirada de um shopping center em uma região rica no leste de Caracas depois da queda de energia. "Não há ônibus, o metrô não funciona e estamos na escuridão completa sob a misericórdia de Deus."

Embora a Venezuela tenha as maiores reservadas comprovadas de petróleo do mundo, tem sido atingida por falhas de energia em anos recentes. Geralmente as áreas mais afetadas ficam fora da capital, onde a infraestrutura é menos desenvolvida e mais distante da atenção da mídia nacional e internacional.

O líder da oposição Henrique Capriles frequentemente cita as quedas de energia como prova da incompetência do governo, apesar dos milhões de dólares gastos para modernizar o sistema desde uma crise energética causada por uma seca em 2010.

*Com AP

Leia tudo sobre: venezuelaapagãoblecautemaduro

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas