Violentos protestos irrompem no país após decisão do governo de não aderir ao bloco econômico

Reuters

KIEV - A oposição política da Ucrânia afirmou neste sábado (30) que irá criar um quartel-general da resistência nacional após confrontos entre a polícia e manifestantes pró-Europa, e começou a organizar uma greve em todo o país.

O debate se desenrola no contexto da possibilidade de ingresso do país na União Europeia, o que foi rechaçado a princípio pelo governo do presidente Viktor Yanukovich. A negativa foi vista pela oposição como interferência da Rússia, que sempre teve a Ucrânia como satélite e a quem não interessaria a adesão do país ao bloco.   

"Nós tomamos uma decisão de consenso de formar uma sede nacional de resistência e já começamos os preparativos para uma greve geral em toda a Ucrânia", disse a jornalistas o ex-ministro da área econômica Arseny Yatsenyuk, um dos três líderes da oposição.

Ele afirmou que os partidos da oposição buscam a renúncia do atual governo e uma antecipação das eleições presidencial e parlamentar.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.