Primeiro-ministro da Escócia apresenta plano para independência

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Plano de ação pretende convencer escoceses a votarem em setembro de 2014 pelo fim da união com a Inglaterra

Uma Escócia independente manteria a moeda britânica, a rainha e continuaria na União Europeia, mas teria Forças Armadas próprias e arrecadaria impostos, disse o premiê escocês, Alex Salmond, em documento publicado nesta terça-feira.

Conheça a nova home do Último Segundo

AP
Premiê Alex Salmond e ministra Nicola Sturgeon com cópias do plano de independência (26/11)


No ato, o premiê apresentou o livro "O Futuro da Escócia", que representa um plano de ação de 670 páginas. A publicação está direcionada a convencer os escoceses a votarem, em 18 de setembro de 2014, a favor do fim da união de 306 anos com a Inglaterra, Salmond diz que não haveria necessidade de aumento de impostos caso a Escócia se separe.

"Nós sabemos que temos o povo, a capacidade e os recursos para tornar a Escócia um país mais bem-sucedido", disse Salmond, chefe do governo da Escócia, que por enquanto ainda integra a Grã-Bretanha.

Ele disse que os impostos escoceses não seriam gastos em programas nucleares e que os mísseis nucleares da Grã-Bretanha seriam removidos definitivamente da Escócia. "A independência vai colocar o povo da Escócia no comando de seu próprio destino", disse Salmond.

(Reportagem de Belinda Goldsmith)

Leia tudo sobre: escóciainglaterraindependênciaalex salmond

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas