Após acordo nuclear, Israel enviará conselheiro aos EUA para diálogo sobre Irã

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Para premiê israelense pacto interino foi "erro histórico"; acordo foi firmado no domingo (24) em Genebra

Reuters

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, disse nesta segunda-feira que enviará em breve a Washington uma equipe liderada por seu conselheiro de segurança nacional para conversações com os Estados Unidos sobre o acordo nuclear final com o Irã.

Conheça a nova home do Último Segundo
Após pacto: Iranianos celebram relaxamento de sanções após acordo nuclear
Obama busca tranquilizar Israel sobre acordo nuclear com Irã

"Conversei na noite passada com o presidente Obama. Concordamos em que nos próximos dias uma equipe israelense liderada pelo conselheiro de segurança nacional, Yossi Cohen, vá discutir com os Estados Unidos o acordo permanente com o Irã", disse ele a membros de seu partido, o Likud.

AP
Benjamin Netanyahu, e secretário de Estado dos EUA, John Kerry

Comunidade internacional saúda acordo, Israel considera "erro histórico"

Para Obama, acordo com Irã é grande passo para solução nuclear abrangente

"Esse acordo tem de produzir um resultado: o desmantelamento da capacidade militar nuclear do Irã", disse Netanyahu, que descreveu o pacto interino de domingo entre o Irã e potências mundiais como um erro histórico.

O Irã e seis potências mundiais fecharam no domingo um acordo para contenção do programa nuclear iraniano em troca de um alívio inicial nas sanções impostas ao país, dando início a uma estratégia de reaproximação que, segundo disseram, vai reduzir o risco de uma guerra mais ampla no Oriente Médio.

O acordo, que suspende a atividade nuclear mais sensível do Irã, o enriquecimento de urânio em nível elevado, foi formatado como um pacote de medidas de construção da confiança entre os dois lados com a finalidade de reduzir décadas de tensão e, por fim, criar um Oriente Médio mais estável e seguro.

(Reportagem de Jeffrey Heller)

Leia tudo sobre: israelprograma nuclearirãnetanyahuobamaeuaacordo nuclear

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas