Tribunal russo estabelece fiança a capitão de navio do Greenpeace

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Valor da fiança é de 61.100 dólares; decisão de prender ambientalistas foi internacionalmente criticada

Reuters

Um tribunal russo concedeu nesta quarta-feira (20) a possibilidade de liberdade sob fiança ao capitão norte-americano de um navio do Greenpeace que foi usado em um protesto contra a exploração de petróleo no Ártico em que 30 pessoas foram detidas, incluindo uma brasileira.

Conheça a nova home do Último Segundo

Reuters
Peter Willcox chega a corte em São Petersburgo nesta quarta-feira

Tribunais da cidade de São Petersburgo, para onde os 28 ativistas e dois jornalistas foram levados na semana passada, concederam até agora fiança para 15 pessoas. A brasileira Ana Paula Maciel também foi contemplada com a decisão.

Ativista brasileira será solta sob fiança na Rússia, diz Greenpeace

O capitão Peter Willcox, de 60 anos, é ativista do Greenpeace há mais de 30 anos e comandava o navio Rainbow Warrior, do grupo de defesa do meio ambiente, quando foi bombardeado e afundado pelo serviço secreto francês em 1985.

O tribunal definiu sua fiança em 2 milhões de rublos, ou 61.100 dólares.

O Greenpeace, que alega que o protesto de 18 de setembro tinha o objetivo de chamar a atenção para o impacto no meio ambiente da perfuração no Ártico, disse que já tinha depositado a fiança para nove dos detidos. Durante o protesto, alguns dos ativistas tentaram escalar uma plataforma de petróleo.

Leia mais sobre o caso dos ativistas:

- Rússia pede prorrogação da prisão de ativistas do Greenpeace
- Paul McCartney pede a Putin que ajude a libertar ativistas do Greenpeace
18 de setembro: Protesto em plataforma no Ártico termina em tiros e prisões
Porto Alegre: Família de brasileira presa na Rússia faz ato por sua libertação

Todos os 30 podem enfrentar sete anos de prisão se forem condenados por acusações de vandalismo em um caso que o presidente russo, Vladimir Putin, tem sido internacionalmente criticado.

(Reportagem de Maria Tsvetkova)

Leia tudo sobre: MUNDORUSSIAGREENPEACELIBERTA

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas