Google presta depoimento ao Congresso sobre caso Snowden

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Membros do Congresso debatem quais mudanças fazer nos programas de vigilância dos EUA e na legislação após os vazamentos para a mídia de documentos secretos

Reuters

O Google cobrou que o governo dos Estados Unidos seja mais transparente sobre a espionagem online, ao prestar nesta quarta-feira (13). o primeiro depoimento perante o Congresso dos EUA desde o início de uma série de vazamentos para a mídia em junho.

Conheça a nova home do Último Segundo

Relembre as denúncias sobre os programas de espionagem dos EUA

AP Photo/The Guardian
Edward Snowden, o ex-agente de inteligência norte-americano

Em depoimento por escrito enviado a uma subcomissão judiciária do Senado, um executivo do Google disse que os segredos do governo são contrários aos valores norte-americanos e ferem os interesses econômicos dos EUA.

"Os governos têm o dever de proteger seus cidadãos. A atual falta de transparência sobre a natureza da vigilância do governo em países democráticos, no entanto, enfraquece a liberdade que a maioria dos cidadãos preza", disse, em depoimento, o diretor do Google para as áreas jurídica e de segurança da informação, Richard Salgado.

Leia também: Snowden busca ajuda internacional contra acusações dos EUA

Os membros do Congresso debatem quais mudanças fazer nos programas de vigilância dos EUA e na legislação após os vazamentos para a mídia de documentos secretos pelo ex-prestador de serviços da Agência de Segurança Nacional (NSA, na sigla em inglês) Edward Snowden, revelando a extensão da espionagem do governo.

O governo do presidente Barack Obama defendeu os programas e o sigilo em torno deles, alegando serem necessários para combater grupos militantes como a Al Qaeda.

Entenda: Como os líderes mundiais lidam com o temor da espionagem?

Alguns parlamentares norte-americanos dizem que não há intenção de autorizar programas tão amplos como a coleta diária de milhões de dados de chamadas telefônicas.

Google, Microsoft e outras grandes empresas de tecnologia pediram à Justiça que tenham autorização para divulgar ao público maiores detalhes sobre as ordens que recebem do tribunal de vigilância.

Leia tudo sobre: mundoeuacongressogooglesnowden

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas