Britânicos operam 'postos de espionagem eletrônica' na Alemanha, diz jornal

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Ministério das Relações Exteriores 'convidou' embaixador britânico a comparecer à sede e dar explicações

Documentos vazados pelo ex-prestador de serviços de uma agência de espionagem dos EUA Edward Snowden mostram que a agência de vigilância britânica opera uma rede de "postos de espionagem eletrônica" nas proximidades do Parlamento alemão e do gabinete da chanceler alemã, Angela Merkel, informou o jornal britânico Independent.

Conheça a nova home do Último Segundo

Relembre as principais denúncias sobre a espionagem dos EUA

AP Photo/The Guardian
Edward Snowden, ex-agente de inteligência norte-americano, foi asilado na Rússia

Documentos da NSA, em conjunto com fotos aéreas e informações sobre atividades passadas de espionagem na Alemanha, sugerem que a Grã-Bretanha opera sua própria estação de escuta secreta próximo ao Parlamento e ao gabinete da chanceler usando equipamento de alta tecnologia instalado no telhado de sua embaixada em Berlim, segundo o jornal britânico.

Em manifesto: Snowden defende os vazamentos sobre agência dos EUA

O Ministério das Relações Exteriores da Alemanha pediu que o Reino Unido respondesse à reportagem do jornal The Independent. Em comunicado, o ministério disse que o embaixador britânico estava "convidado" a comparecer a mando do ministro Guido Westerwelle.

O chefe do departamento europeu do ministério notou que as "escutas de comunicações de instalações diplomáticas seriam contra a lei internacional", segundo o comunicado.

Denúncias pelo vazamento de Snowden:
Brasil: Leia todas as notícias sobre a espionagem no Brasil
Alemanha: Merkel cobra explicações de Obama sobre suposta espionagem
70 milhões: Telefones da França foram alvo de espionagem dos EUA
Monitoramento: EUA mantêm ampla base de dados telefônicos
Prism: EUA coletam dados de nove empresas de internet
Jornal: EUA podem usar dados de inteligência sem mandado
Anfitrião: Reino Unido espionou autoridades do G20 em 2009
Guerra cibernética: EUA espionam computadores da China

Em termos diplomáticos, o convite está em um grau inferior da convocação no mês passado do embaixador americano em Berlim após acusações de que a inteligência americana teria espionado o celular da chanceler Angela Merkel.

De acordo com o Independent, a operação de espionagem, conduzida pela agência britânica GCHQ em edifícios diplomáticos ao redor do mundo para interceptar dados em países-sede, foi conduzida junto aos EUA e outros parceiros.

Com AP e Reuters

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas