Ataque de drone dos EUA mata líder do Taleban no Paquistão, dizem autoridades

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Hakimullah Mehsud estaria por trás do fracassado ataque a Times Square em NY e era considerado cruel com inimigos

AP
Hakimullah Mehsud que se tornou o líder do Taleban do Paquistão após a morte de Baitullah Mehsud em foto de 2008

Um ataque com avião não tripulado (drone) dos EUA matou o líder do Taleban do Paquistão nesta sexta-feira (1º), informaram autoridades de inteligência americana e do próprio grupo militante. A morte de Hakimullah Mehsud é um enorme golpe para o Taleban e ocorre um dia depois de o governo ter anunciado o início do diálogo de paz com os militantes.

Conheça a nova home do Último Segundo

Mehsud, que estaria por trás de um fracassado atentado com carro-bomba na Times Square, em Nova York, bem como ataques dentro do Paquistão, tinha uma reputação de ser cruel com seus inimigos.

Acreditava-se que ele tinha sido morto em 2010, mas, pouco tempo depois, ele ressurgiu. As áreas tribais onde os ataques com drones ocorrem são perigosos, o que torna difícil a confirmação independente das informações.

Jornal: Autoridades do Paquistão sabiam de ataques de drones dos EUA

Entidade: Drones dos EUA mataram civis e uma avó no Paquistão

Uma autoridade de alto escalão dos EUA afirmou que o governo do país recebeu a confirmação positiva na manhã desta sexta-feira de que ele havia sido morto. Duas autoridades paquistanesas do Waziristão do Norte também confirmaram a morte, bem como dois comandantes do Taleban que disseram ter visto os restos mortais do comandante.

O ataque matou outros quatro supostos militantes, segundo duas autoridades de inteligência do Paquistão. Os comandantes do Taleban disseram que ao menos quatro mísseis atingiram o veículo dirigido por Mehsud.

Entrevista com Meshud: Líder diz estar aberto ao diálogo com governo

A CIA e a Casa Branca se recusaram a fazer quaisquer comentários sobre a morte do comandante do Taleban.

O Centro de Contraterrorismo Nacional dos EUA descreve Mehsud como o "autoproclamado emir do Taleban paquistanês". Mehsud é um dos mais procurados na lista de terroristas do FBI, com uma recompensa de US$ 5 milhões pela sua captura.

Em julho: Taleban ataca prisão no Paquistão e liberta mais de 200 detentos

No Paquistão: Atiradores atacam escritórios da agência de espionagem

Mehsud quase chegou ao topo da lista dos mais procurados do Centro de Contraterrorismo da CIA por seu papel em dezembro de 2009 no ataque suicida que matou sete americanos na Base Chapman em Khost, Afeganistão. O suicida, um agente duplo jordaniano, foi levado para dentro da base militar para passar informações a agentes da CIA sobre a Al-Qaeda, quando detonou seus explosivos.

Meshud depois apareceu em um vídeo ao lado do jordaniano, que disse ter realizado o ataque em retaliação à morte de outro ex-líder do Taleban paquistanês Baitullah Mehsud, morto em um ataque de avião não tripulado em 2009.

O ataque desta sexta no Waziristão do Norte ocorre em um momento delicado. O governo vem tentando estabelecer um acordo de paz com os militantes e colocar um fim a anos de lutas no noroeste do país.

Durante uma visita a Londres na quinta, o premiê paquistanês Nawaz Sharif disse que os diálogos com o Taleban do Paquistão foram iniciados, embora não tenha dado detalhes sobre que partes estavam envolvidos na negociação.

O governo do Paquistão rapidamente condenou o ataque de drone nesta sexta-feira, assim que a morte de Mehsud foi noticiada. "Esses ataques são uma violação à soberania do Paquistão e à integridade territorial. Há um consenso para além das fronteiras do Paquistão de que esses ataques com drones devem acabar", disse o Ministério das Relações Exteriores em comunicado.

Com AP

Leia tudo sobre: talebanpaquistãomehsuddroneavião não tripuladoeua

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas