EUA espionaram Vaticano e o papa Francisco, diz revista italiana

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Agência americana teria monitorado telefonemas do pontífice antes de sua eleição, segundo revista Panorama

A Agência de Segurança Nacional dos EUA (NSA, sigla em inglês) monitorou os telefonemas feitos a partir da residência em Roma onde o então cardeal Jorge Mario Bergoglio estava durante o conclave, eleição na qual os cardeais o escolheram como pontífice.

As informações são da próxima edição da revista italiana Panorama e cita documentos vazados pelo ex-funcionário terceirizado da NSA Edward Snowden.

Conheça a nova home do Último Segundo

AP
Papa Francisco dá sua bênção a fiéis durante audiência geral semanal na Praça São Pedro, Vaticano (2/10)

De acordo com a publicação, a NSA monitorou os telefonemas de vários bispos e cardeais que estavam no Vaticano por ocasião do conclave, que ocorreu na Capela Sistina. A informação coletada foi teria sido dividida em quatro categorias - "intenções de liderança", "ameaças ao sistema financeiro", objetivos de política externa" e "direitos humanos".

O órgão americano teria interceptado as comunicações do papa Francisco entre 10 de dezembro de 2012 e 8 de janeiro de 2013, quando ele ainda era cardeal

Há suspeitas também, segundo a revista, de que as conversas sobre a escolha do novo presidente do Banco do Vaticano, o alemão Ernst Von Freyberg, tenham sido monitoradas. "Não temos informações sobre o assunto, e, de qualquer modo, não temos nenhuma preocupação com isso", afirmou o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi.

Segundo site de vazamentos WikiLeaks, Bergoglio estaria sob a vigilância da inteligência americana desde 2005.

Com Ansa

Leia tudo sobre: espionagem eua europaeuaespionagemvaticanopapa francisconsafisa

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas