Testes de DNA confirmam que cigana búlgara é mãe de menina Maria

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Sasha Ruseva diz que entregou filha ainda bebê a casal cigano na Grécia por não ter condições de sustentá-la

Exames de DNA confirmaram que uma cigana búlgara da comunidade roma é a mãe da misteriosa menina encontrada na Grécia, conhecida como Maria, disseram autoridades nesta sexta-feira (25).

Conheça a nova home do Último Segundo

Reuters
Filhos da cigana Sasha Ruseva, 38 anos, (não foi fotografada) descansam dentro de sua casa em Nikolaevo, sul da Bulgária (24/10)

Segundo Svetlozar Lazarov, autoridade do Minsitério do Interior, os testes mostraram compatibilidade entre o perfil genético de Sasha Ruseva e a menina.

Polícia: Bulgária questiona possíveis pais biológicos da menina Maria

Resposta: Ciganos acusados de sequestro dizem que mãe entregou menina

Justiça: Casal de ciganos acusado de sequestrar menina é convocado a depor

Na quinta, Sasha afirmou que havia dado à luz uma menina há quatro anos na Grécia, enquanto trabalhava como colhedora de olivas, e que entregou a criança porque era pobre demais para cuidar dela.

Maria está em uma instituição de caridade temporariamente desde a semana passada, quando agentes que realizavam uma busca por armas e drogas em um acampamento cigano no centro da Grécia encontraram a menina com um casal que não se parecia com ela. Testes de DNA depois confirmaram que eles não possuíam relações de parentesco.

Na Grécia: Comunidade cigana nega sequestro de menina loira

Costas Yannopoulos, diretor da instituição de caridade "O Sorriso da Criança", que está com a garota, disse que não tinha comentários a fazer sobre o seu possível destino. "Estamos lidando com o lado humanitário dessa questão, cuidando de uma menina", disse Yannopoulos.

O caso de Maria atraiu atenção mundial pela possibilidade de a criança ter sido roubada de seus pais ou vendida por eles. Mas a forma como o caso foi tratado pela imprensa e autoridades levantaram preocupações sobre o racismo que enfrenta a comunidade estimada em 6 milhões de ciganos na União Europeia - uma minoria historicamente marginalizada na maior parte do continente.

Com AP

Leia tudo sobre: ciganosmariagréciabulgáriasasha ruseva

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas