Seis sul-coreanos detidos na Coreia do Norte retornam para casa

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Identidades dos homens e motivos para estarem no Norte não foram divulgados; idades variam entre 27 e 67 anos

Seis sul-coreanos atravessaram a zona desmilitarizada vindos da Coreia do Norte nesta sexta-feira (25), retornando para casa para serem questionados sobre como foram parar no Norte e por que razão Pyongyang havia os libertado.

Conheça a nova home do Último Segundo

AP
Soldado norte-coreano olha em direção ao Sul no vilarejo de Panmunjom, na fronteira entre as duas Coreias

Nem Seul nem Pyongyang forneceram muitos detalhes sobre as identidades dos homens, cujas idades variam entre 27 e 67 anos. Mas muitos sul-coreanos viram a ação como um inesperado gesto conciliatório depois do abrupto cancelamento por parte do Norte de encontros emocionados das famílias separadas pela Guerra da Coreia (1950-1953).

Antes de terem sido canceladas, essas reuniões eram vistas como um exemplo de alívio nas tensões entre os rivais, que se voltaram à diplomacia depois de trocar ameaças de ataque em março e abril.

Mãe: Americano preso na Coreia do Norte melhora de saúde

Ameaça: Coreia do Norte coloca Exército em alerta e adverte EUA

O retorno dos sul-coreanos nesta sexta ocorreu ao mesmo tempo em que Pyongyang, separadamente, aprovou uma visita na semana que vem de 24 deputados sul-coreanos ao complexo Kaesong, parque industrial conjunto entre Sul e Norte, que voltou a funcionar recentemente.

Os sul-coreanos atravessaram a fronteira no chamado vilarejo da trégua de Panmunjom um dia depois que a Cruz Vermelha de Pyongyang enviou uma carta ao Sul anunciando que eles seriam libertados.

Infográfico: Saiba mais sobre o mundo nuclear

A Coreia do Sul disse que autoridades de inteligência vão investigar como os homens entraram no Norte.

Pyongyang afirma que os homens atravessaram a fronteira para o Norte de forma voluntária, segundo Kim Eui-do, um porta-voz do Ministério da Unificação do Sul, que é responsável pelos laços entre os dois países.

Em julho: Panamá retém navio de bandeira da Coreia do Norte com armas

Pyongyang: Coreia do Norte nega distribuição de livro de Hitler a autoridades

É um crime que sul-coreanos viajem para a Coreia do Norte sem permissão do governo, punível com até 10 anos de prisão.

Estima-se que centenas de sul-coreanos foram sequestrados e estão detidos na Coreia do Norte desde a Guerra da Coreia, finalizada com um armistício, não com um tratado de paz, o que deixa a península tecnicamente em estado de guerra.

Enquanto autoridades não falavam abertamente sobre a identidade dos homens, especulações em Seul tratavam da possibilidade de de eles serem missionários cristãos - muitos dos quais trabalhavam ao longo da fronteira da Coreia do Norte com a China, ajudando desertores.

Com AP

Leia tudo sobre: coreia do sulcoreia do nortepyongyangseuldetençãoliberdade

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas