Reeleição de prefeito de Jerusalém representa derrota para ex-chanceler

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Avigdor Lieberman, envolvido em caso de corrupção, apoiou candidato à revelia do premiê Benjamin Netanyahu

Reuters

O prefeito israelense de Jerusalém foi reeleito nesta quarta-feira (23) em uma eleição muito apertada, que desferiu um golpe político para os principais apoiadores do candidato derrotado, o ex-ministro das Relações Exteriores Avigdor Lieberman e o partido ultra-ortodoxo Shas.

Conheça a nova home do Último Segundo

AP
Prefeito de Jerusalém, Nir Barkat, vota para eleição à Prefeitura (22/10)

Lieberman, parlamentar cujo partido de extrema direita Yisrael Beitenu é aliado do Likud do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, está envolvido em um caso de corrupção, cujo veredicto no próximo mês deve determinar se ele volta para o ministério.

Lieberman: Chanceler renuncia após indiciamento por quebra de confiança

Acusação: Chanceler de Israel é indiciado por quebra de confiança

A disputa em Jerusalém, em que o candidato a prefeito de Lieberman, Moshe Lion, fracassou na tentativa de impedir a reeleição de Nir Barkat, era vista como uma oportunidade para o ex-chanceler recuperar prestígio político.

Mas, em uma afronta à Lieberman, Netanyahu não endossou a candidatura de Lion, e viajou à Itália na terça-feira para conversar com o secretário de Estado norte-americano, John Kerry EUA, depois de depositar seu voto em Jerusalém.

Lion, um ex-assessor de Netanyahu, recebeu 45% dos votos, enquanto Barakat foi reeleito com 51%.

Os palestinos, que constituem cerca de um terço da população de 750 mil habitantes de Jerusalém, geralmente boicotam a eleição para prefeito em protesto contra o controle israelense da parte oriental da cidade, capturada em uma guerra de 1967.

Leia tudo sobre: netanyahuisraelprimeiro ministrojerusalémlieberman

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas