Jornal chinês faz apelo por soltura de funcionário: 'Liberte nosso repórter'

Por Reuters | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Chen Yongzhou, do tabloide New Express, foi preso após reportagens sobre fabricante controlada pelo governo

Reuters

Um jornal chinês pediu à policia nesta quarta-feira (23) para libertar um repórter investigativo acusado de difamação, em um caso pouco comum de crítica pública em meio à ampla repressão do governo contra a liberdade de expressão.

Conheça a nova home do Último Segundo

Reprodução
Manchete do tabloide New Express na China diz: 'Por favor, o libertem'

O tabloide estatal New Express imprimiu um artigo na capa pedindo à polícia na cidade do centro-sul de Changsa para libertar o repórter Chen Yongzhou, com a manchete: "Por favor, o libertem."

Governo: China detém dois blogueiros e intensifica 'repressão a boatos'

Política: Apetite por luxo estimula corrupção na China

Shi Tao: Jornalista chinês deixa prisão após oito anos por vazar segredos do Estado

Chen foi detido após escrever mais de uma dezena de reportagens criticando as finanças de uma grande fabricante de equipamentos de construção administrada pelo governo.

A prisão de Chen, que coincide com novas restrições a jornalistas, advogados e usuário da internet na China, colocou em discussão o papel dos denunciantes ante medidas da liderança do país para erradicar a corrupção.

Semanário do Sul: Chineses fazem raro protesto contra censura a jornal

Na China: Transmissão de 'V de Vingança' surpreende telespectadores

"Quando o governo reprime a liberdade de expressão e prende jornalistas... parece jogar sérias dúvidas sobre o quão séria é essa ação contra a corrupção", disse Maya Wang, da Human Rights Watch.

O artigo de Chen denunciando Zoomlion Heavy Industry Science and Technology Co. Ltd. se tornou viral nesta quarta-feira no Sina Weibo, serviço de microblog chinês semelhante ao Twiter, e foi republicado pela mídia chinesa sem qualquer antagonismo óbvio por parte de autoridades de censura.

Especialistas de mídia disseram que o artigo era incomum, mas não muito controverso, porque o jornal, publicado na metrópole de Guangzhou, criticava autoridades de Changsa e não do governo central.

Leia tudo sobre: new expresschinafabricantejornalliberdade de expressãoimprensa

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas