Jofi Joseph há mais de dois anos publicava em uma conta famosa por insultos a figuras do governo e do Congresso

Reuters

Um alto funcionário da Casa Branca que ajudava nas negociações sobre a questão nuclear iraniana foi demitido após ser desmascarado como o responsável por uma conta no Twitter famosa por insultos a figuras públicas do governo e do Congresso dos EUA, disse uma fonte do governo na terça-feira (22).

Conheça a nova home do Último Segundo

Frente da Casa Branca em Washington, EUA (foto de arquivo)
Getty Images
Frente da Casa Branca em Washington, EUA (foto de arquivo)

Jofi Joseph era diretor de não-proliferação nuclear do Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca, mas há mais de dois anos vinha publicando centenas de tuítes anônimos e ofensivos usando a conta @NatSecWonk.

Ele foi demitido na semana passada depois que foi descoberto, disse a fonte da Casa Branca. Um perfil se referiu à primeira-dama americana

Primeira-dama: Michelle Obama é insultada em sua estreia no Twitter

Autoridade do Vaticano:  'Jesus Cristo foi o primeiro a tuitar'

Um funcionário da Casa Branca confirmou que Joseph não trabalha mais lá, mas não quis comentar sobre assuntos pessoais. A demissão foi relatada pela primeira vez pelo site The Daily Beast.

Em seu perfil no Twitter, que foi removido do site de rede social, Joseph descrevia a si mesmo como um "observador atento da política externa e da cena de segurança nacional", que "assumidamente diz o que todo mundo só pensa".

Ataque: Sites do New York Times e Twitter são alvos de hackers sírios

Reino Unido: Comissária de polícia renuncia após racismo no Twitter

Como o amplamente seguido @NatSecWonk, Joseph especulava anonimamente sobre os motivos políticos e movimentos de carreira de funcionários do governo que trabalhavam com ele, incluindo Ben Rhodes, porta-voz do presidente Barack Obama sobre questões de segurança nacional.

Este mês, Joseph tuitou que a ex-secretária de Estado Hillary Clinton "teve poucos objetivos políticos e nenhuma vitória" no Oriente Médio. Ele concordou com o deputado republicano Darrell Issa, que implacavelmente perseguia Hillary pelas ações do governo após o ataque do ano passado contra o posto diplomático dos EUA em Benghazi , na Líbia, em que morreram quatro norte-americanos.

"Olha, Issa é um idiota, mas ele está certo em algo aqui com a @HillaryClinton pela prestação de contas por Benghazi", tuitou.

Joseph não respondeu a pedidos por telefone e email para comentar o assunto, mas disse ao site Politico que lamentava seus tuítes.

"O que começou como uma conta de paródia da cultura de DC (capital dos EUA) tornou-se ao longo do tempo uma série de comentários inapropriados e mesquinhos. Assumo total responsabilidade por este assunto e peço sinceras desculpas a todos que eu insultei", disse Joseph em um email enviado ao Politico.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.