Espanha liberta integrante do ETA após decisão de tribunal europeu

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Ines del Rio Prada foi sentenciada em 1987 a 3.828 anos de prisão por múltiplos ataques realizados pelo grupo basco

Um tribunal espanhol ordenou a soltura de uma mulher condenada por terrorismo depois que uma corte europeia de direitos humanos decidiu que seus direitos foram violados.

Conheça a nova home do Último Segundo

AP
Ministro da Justiça da Espanha, Alberto Ruiz-Gallardon, e ministro do Interior Jorge Fernandez Díaz fazem coletiva no Ministério de Justiça de Madri

Ines del Rio Prada foi sentenciada em 1987 a um total de 3.828 anos de prisão por múltiplos ataques terroristas realizados pelo grupo armado basco ETA.

Sua soltura estava prevista para 2008, mas os tribunais espanhóis decidiram que a redução de sua pena era aplicável apenas à sua sentença total, e não ao período máximo de 30 anos em que ela poderia ser mantida na cadeia.

A exemplo de Battisti: Membro do ETA tenta obter asilo político no Brasil

Em 2011: ETA anuncia cessar definitivo da atividade armada

A Corte Europeia de Direitos Humanos decidiu em favor de Ines na segunda-feira e a Corte Nacional da Espanha atendeu a decisão, ordenando sua libertação.

Autoridades espanholas alertaram que isso poderia provocar exigências para a soltura de mais de 100 prisioneiros, incluindo terroristas condenados e homicidas.

Com AP

Leia tudo sobre: etaespanhabascogrupo armado

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas