Agência dos EUA espionou diplomatas da França, diz jornal

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Segundo jornal, EUA souberam de antemão como França votaria no Conselho de Segurança sobre sanções ao Irã

A Agência Nacional de Segurança (NSA, sigla em inglês) dos EUA espionou diplomatas da França em Washington e na Organização das Nações Unidas (ONU), afirmou nesta terça-feira (22) o jornal francês Le Monde.

Conheça a nova home do Último Segundo

Reprodução
Em vídeo, Edward Snowden aparece ao lado de ex-agentes do FBI, da NSA e do Departamento de Justiça

Relatórios internos da NSA vazados pelo ex-funcionário terceirizado da agência Edward Snowden e obtidos pelo Le Monde através do jornalista Glenn Greenwald detalham o uso de um sofisticado programa de vigilância, conhecido como Genie.

Espiões americanos teriam hackeado redes, introduzindo um programa no software e e firewalls de milhões de computadores estrangeiros e em embaixadas, incluindo a representação francesa wm Washington.

Espionagem dos EUA na França:
Denúncia: Telefones da França foram alvo de espionagem dos EUA
Reação: França se diz chocada com alcance de espionagem dos EUA

A reportagem sugere que em 2011, os EUA disponibilizaram US$ 625 milhões para financiar o programa. Milhões de computadores teriam sido hackeados naquele ano.

Um documento com data de 2010 sugere que dados de inteligência foram roubados da embaixada estrangeira, fazendo com que os EUA soubessem de antemão as posições de outros membros do Conselho de Segurança antes de uma votação por uma resolução impondo novas sanções ao Irã.

De acordo com a BBC, os EUA estavam preocupados que a França se posicionasse do lado do Brasil - que se opunha à implementação de sanções, quando, na verdade, eles votariam com Washington.

A agência cita a então mbaixadora americana para a ONU Susan Rice elogiando o trabalho da NSA. "Me ajudou a saber a verdade...e revelou as posições (dos outros países) sobre as sanções, permitindo que nos mantessemos a frente das negociações."

Em um encontro com o secretário de Estado dos EUA na terça-feura, o chanceler francês, Laurent Fabius, exigiu uma explicação. Se referindo a um telefonema entre os presidentes dos EUA e da França, Fabius afirmou: "Eu disse novamente a John Kerry que François Hollande disse a Barack Obama que esse tipo de espionagem em larga escala feita pelos americanos em seus aliados é algo inaceitável."

Na segunda-feira, o Le Monde publicou uma outra reportagem afirmando que a NSA coletou 70,3 milhões de registros telefônicos franceses em um período de 30 dias. A publicação disse também que quando certos números eram usados, as conversas eram automaticamente gravadas. A operação de vigilância também coletou mensagens de texto baseada em palavras-chave. O governo francês chegou a convocar o embaixador americano para dar explicações.

Com agências internacionais

Leia tudo sobre: françaeuasnowdennsafisaregistros da internetregistros da verizon

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas