Norueguês teria participado de ataque a shopping no Quênia, dizem fontes

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Potencial suspeito tem origem somali; oficiais encontram pedaços de corpos quer pertenceriam a militantes

Um dos quatro militantes que participaram do ataque a um shopping no Quênia em setembro foi identificado pelo nome verdadeiro pela primeira vez: Abdi Dhuhulow, um cidadão norueguês de origem somali segundo autoridades. Registros de impostos de renda da Noruega mostram um Hassan Abdi Dhuhulow que nasceu em 1990 e foi registrado em um endereço em Larvik, ao sul da Noruega, no final de 2009.

Conheça a nova home do Último Segundo

AP
Um dos quatro militantes armados caminha em loja no shopping Westgate, durante o cerco em Nairóbi, Quênia

Um homem vivendo em outro país escandinavo, que apenas teve seu primeiro nome divulgado, Yussuf, afirmou à AP que ele acredita ter conhecido o suposto militante em uma reunião de imigrantes somalis em Oslo, capital da Noruega, em 2008.

Em luto: Quênia vela vítimas de ataque a shopping em Nairóbi

Análise: Carnificina no Quênia reflete resistência do grupo Al-Shabab

Yussuf lembrou que o nome do homem era Abdi e disse que ele estava associado a círculos "muito radicais" na Noruega. "Ele era doido. Ele não se sentia em casa na Noruega", disse Yussuf. Ele afirmou que não teve mais contato com o homem desde então, mas acrescentou que muitas pessoas que ele conhecia pensaram tê-lo reconhecido nas imagens de câmera de segurança do ataque do shopping.

"Dissemos que poderia ser ele quando vimos o vídeo", disse Yussuf.

No Quênia: Presidente anuncia fim do ataque terrorista a shopping

Ministra do Quênia: Americanos e britânica estariam entre autores de ataque

Novas imagens reveladas mostram que quatro homens armados invadiram o shopping e abriram fogo contra clientes e lojistas, o que seria o início do cerco de quatro dias.

Autoridades afirmaram nesta sexta que pedaços de corpos carbonizados, suficientes para encher duas caixas, foram encontrados na parte do shopping que desabou durante os confrontos entre as forças de segurança e os militantes. Quatro fuzis AK-47 que pertenceriam aos militantes também foram encontrados.

Perfil: Quem é o Al Shabab, grupo que reivindicou ataque no Quênia

Imagens: Vídeo mostra momentos de pânico em shopping no Quênia

Uma autoridade de segurança disse que é possível que os restos mortais sejam de militantes, mas isso não seria concluído até que fossem realizados exames. As duas caixas foram levadas ao necrotério na quinta-feira, e nesta sexta, especialistas forenses chegaram ao local e trancaram as caixas. Agentes do FBI participam da investigação desde que os homens armados invadiram o shopping Westgate em Nairóbi.

O grupo islâmico somali Al Shabab assumiu a autorida do ataque, dizendo que era uma retalaição ao envio de tropas pelo Quênia para a Somália. Os homens armados invadiram o shopping pouco após o entardecer de sábado.

Com AP

Leia tudo sobre: quêniaal shababsomáliashoppingwestgate

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas