Amada pelo povo, mas uma dor de cabeça para a família real: assim era Lady Di

Por Luciana Alvarez - especial para o iG |

compartilhe

Tamanho do texto

Para especialistas, Lady Di cumpriu com maestria o papel de distrair o povo e causou mudanças sem volta na realeza. Filme sobre Diana estreia no Brasil nesta sexta

Amada pelo povo, mas uma dor de cabeça para a família real britânica, a princesa Diana passou toda sua vida sob os holofotes. Agora, 16 anos após sua morte trágica, ela volta a ganhar atenções graças ao filme "Diana", que estreia no Brasil nesta sexta-feira (18).

Conheça a nova home do Último Segundo

Getty Images
Princesa Diana, em foto tirada em 1986

Mas ao contrário da princesa carismática, o filme, dirigido por Oliver Hirschbiegel, que tem Naomi Watts encarnando a protagonista, não caiu nas graças do público no Reino Unido talvez justamente por tratar dos dois últimos anos de sua vida, época em que já estava divorciada e, apesar de ter mantido o título de princesa de Gales, não era mais parte da família real. Ou, segundo os críticos, por faltar no roteiro a emoção que marcou a curta trajetória de Lady Di.

Embora alguns condenem o excesso de exposição da vida pessoal dos membros da família real – seja hoje, por causa do filme sobre o suposto romance entre Diana e o médico paquistanês Hasnat Khan, seja na época em que ela era constantemente cercada por paparazzi – cientistas políticos acreditam que essa seja uma das funções da Coroa.

“Um escritor do século 19 chamado Walter Bagehot, em um livro sobre a Constituição, já falava sobre o papel que a monarquia tem em promover um ‘espetáculo’ para distrair a ‘rude’ multidão”, afirmou ao iG o professor Ian Ward, diretor de pesquisas legais da Universidade Newcastle. Segundo ele, a vida amorosa da princesa Diana era muito mais fascinante do que a proposta de reforma da Câmara dos Lordes, por exemplo.

Mas, para Ward, se Diana estava simplesmente cumprindo o tradicional papel de distrair o povo, ela o fazia com maestria. “Amamos nossos ícones, sobretudo os que parecem nos amar também. Não queremos que nossos líderes apenas governem bem, mas que finjam se importar conosco. Diana parecia se importar.”

Reprodução
Cartaz do filme Diana, estrelado por Naomi Watts

O professor destaca também que ainda é muito cedo para se falar em um possível “legado” de Lady Di. E acredita que Kate Middleton, mulher do filho mais velho de Diana, o príncipe William, é a candidata óbvia a se tornar o novo alvo de curiosidade e adoração dos súditos. As comparações, portanto, são inevitáveis.

Fim da impessoalidade

De qualquer forma, a maior parte dos analistas considera que o estilo de Diana promoveu mudanças sem volta em algumas práticas da realeza. Para Marcos de Azambuja, do Centro Brasileiro de Relações Exteriores (Cebri), a família real se deu conta de que precisava se aproximar mais do povo. “Diana trouxe um elemento de humanidade. Os membros da realeza já não se comportam com toda aquela pompa de antes”, afirmou.

Azambuja lembrou que as proporções do funeral da princesa, que atraiu milhões pessoalmente e foi assistido por mais de 2 bilhões pela TV, demonstraram que suas atitudes espontâneas eram um caminho melhor que o protocolo e a formalidade. Ele avaliou seu enterro como uma espécie de “triunfo de Diana sobre a rainha”.

Para Robert Hazell, professor de política e governo da Universidade College London, Diana foi o elemento desencadeador da “incontinência emocional” dos britânicos, segundo escreveu em um artigo sobre o impacto da princesa na sociedade do Reino Unido e do mundo. Ela teria inspirado as pessoas porque “quando falava sobre assuntos pessoais, o fazia de forma corajosa e sem precedentes – algo que ia na contramão do rígido protocolo real”.

“Diana não era uma grande oradora, mas suas palavras tinham impacto”, avaliou Hazell. Em entrevistas, contou sobre sua bulimia, assim como fez comentários a respeito da infidelidade do seu marido, o príncipe Charles.

Segundo o professor, Lady Di também teve influência sobre o mundo da caridade. “Colocando de forma simples, Diana fez a filantropia ser sexy. Ela abriu caminho para outras celebridades como Angelina Jolie, George Clooney e Brad Pitt”, afirmou Hazell.

Veja imagens da Princesa Diana:

Diana posa aos 21 anos, quando ainda era namorava de Charles, na escola infantil onde trabalhava, em 1980. Foto: AP PhotoDiana posa ao lado do príncipe Charles no Palácio de Buckingham logo após anúncio do noivado . Foto: AP Photo/Ron BellDiana casou-se com o Príncipe Charles em 1981. Foto: Getty ImagesApós a cerimônia, os recém-casados passearam pelas ruas de Londres em uma bela carruagem, em 1981. Foto: Getty ImagesDiana carrega o príncipe Harry após seu nascimento, em 1984. Foto: Getty ImagesDiana e John Travolta dançam em jantar na Casa Branca em 1985, observados pelo presidente Ronald Reagan e a mulher, Nancy. Foto: GettyImagesLady Di participa de um evento oficial na Austrália em 1988. Foto: Getty ImagesPrincesa Diana é fotografada em 1991, um ano antes de se separar do Príncipe Charles. Foto: Getty ImagesLady Di conversa com menina de 15 anos vítima de mina terrestre na Guerra da Bósnia, em Sarajevo, em 10 de agosto de 1997. Foto: AP PHOTO/HIDAJET DELICPopulares acompanham o funeral de Diana em Londres, em 1997. Foto: Getty Images

Por fim, apesar das rusgas momentâneas, as atitudes de Diana tiveram, segundo o especialista, um efeito positivo sobre a família real. “O palácio claramente presta mais atenção à mídia do que antes, tenta antecipar o humor e sensibilidade do público. A monarquia é essencialmente a mesma, mas sem Diana nosso interesse teria se perdido”.

Esposa enganada, símbolo feminista, guru da moda, manipuladora da mídia, ingênua, predadora sexual, humanitária, histérica, ícone de boa mãe, bulímica. Diana se encaixa perfeitamente em todos esses rótulos. Talvez nenhum filme consiga jamais retratar a princesa em toda sua complexidade. E talvez por isso, o público nunca perca o interesse sobre sua vida.

Leia tudo sobre: dianaprincesa dianareino unidomonarquiafamília realnaomi watts

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas