Senado dos EUA aprova acordo para elevar teto da dívida e reabrir governo

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Texto precisa passar pela Câmara e depois ser sancionado por Obama; prazo termina nesta quinta-feira

O Senado dos Estados Unidos aprovou na noite desta quarta-feira (16), por 88 votos a favor e 18 contra, o acordo fechado na última hora para evitar um lapso histórico na capacidade de endividamento do governo e um possível calote da dívida, além de possibilitar a reabertura do governo após duas semanas de paralisação. O texto ainda precisa ser aprovado na Câmara e, em seguida, ser sancionado pelo presidente Barack Obama.

Conheça a nova home do Último Segundo

Saiba mais: Entenda as consequências de um calote da dívida dos EUA

Mas mesmo que a Câmara dos Deputados consiga superar os obstáculos regimentais para fechar um acordo antes de quinta-feira, quando o Tesouro diz que terá esgotado sua capacidade de endividamento, a solução será apenas temporária e estabelece a perspectiva de um novo impasse no início do próximo ano. O texto permite a elevação do teto da dívida do país até pelo menos o próximo dia 7 de fevereiro e prevê a reabertura do governo até 15 de janeiro.

AP
O líder da maioria do Senado, o democrata Harry Reid (à esq.), após aprovação do acordo

Os principais índices das bolsas norte-americanas subiram mais de 1% devido ao otimismo com a possibilidade de os parlamentares finalmente fecharem um acordo para encerrar o impasse fiscal.

Semanas de uma amarga disputa entre democratas e republicanos sobre a reforma do sistema de saúde implantada por Obama levaram a uma paralisação do governo por duas semanas, em que centenas de milhares de servidores federais foram colocados em licença sem remuneração.

A briga inicial sobre a lei do sistema de saúde se transformou em uma ampla batalha sobre o teto da dívida, ameaçando provocar um default que teria eco em todo o mundo.

Democratas e republicanos estão confiantes que a Câmara dos Deputados terá votos suficientes para aprovar o plano bipartidário do Senado nesta quarta-feira, disse um assessor democrata.

Os parlamentares correm contra o tempo. Enquanto analistas e autoridades norte-americanas dizem que o governo ainda terá cerca de 30 bilhões em caixa para pagar suas obrigações por alguns dias, o setor financeiro pode começar a parar na quinta-feira, caso nenhuma acordo seja assegurado.

A agência de classificação de risco Fitch alertou na terça-feira que pode rebaixar a nota "AAA" dos Estados Unidos citando a disputa política sobre a elevação do teto da dívida do país.

Com Reuters e AP

Leia tudo sobre: paralisaçãoteto da dívidasenadocâmaraorçamentoeuaobamarepublicanosdemocratascongresso

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas