Os EUA e seus aliados suspeitam que o Irã esteja tentando desenvolver armas nucleares, o que Teerã nega

Reuters

Israel pediu nesta quarta-feira (16) às potências ocidentais que não revoguem as sanções econômicas ao Irã até que a República Islâmica prove que está desmantelando seu possível programa nuclear.

Visão geral antes da abertura das reuniões a portas fechadas sobre o programa nuclear do Irã em Genebra, Suíça
AP
Visão geral antes da abertura das reuniões a portas fechadas sobre o programa nuclear do Irã em Genebra, Suíça

Os comentários foram feitos após diplomatas iranianos indicarem que o Irã se mostrou disposto, durante negociações nesta semana em Genebra, a abdicar de atividades nucleares consideradas delicadas.

Leia também: Israel faz novo alerta sobre programa nuclear do Irã

Os Estados Unidos e seus aliados suspeitam que o Irã esteja tentando desenvolver armas nucleares, o que Teerã nega, insistindo que seu programa atômico se destina apenas à geração de energia para fins civis.

"O Irã deveria ser testado por suas ações, não por suas propostas", disse uma fonte graduada do governo israelense, pedindo anonimato.

"Até que passos substanciais sejam realizados que provem que o Irã está desmantelando seu programa nuclear militar, a comunidade internacional deve continuar suas sanções contra ele (Irã)", acrescentou.

Difícil aproximação: Fábula ilustra clima de desconfiança no Oriente Médio

Chanceler do Irã: 'Enriquecimento nuclear não é negociável'

Os Estados Unidos disseram ter mantido nos últimos dois dias as mais sérias e francas negociações já realizadas com o Irã, mas uma fonte sênior do governo norte-americano disse a jornalistas que nenhuma decisão foi tomada e que aparentemente ainda não houve redução nas divergências entre o Irã e seis potências mundiais acerca das ambições nucleares iranianas.

Uma nova rodada de diálogo foi marcada para 7 e 8 de novembro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.