Wipha provocou ventos de até 126 km/h no país antes de perder força e ser reduzido à tempestade tropical

Um tufão provocou deslizamentos de terra mortais que soterrou pessoas e destruiu casas em uma ilha japonesa nesta quarta-feira (16) antes de seguir em direção à costa do Pacífico, cancelando centenas de voos e prejudicando o transporte público no horário de rush em Tóquio. Ao menos 17 mortes foram registradas, além de 50 desaparecimentos.

Conheça a nova home do Último Segundo

Mulher observa estrago causado na ilha de Izu Oshima, no Japão, após passagem de tufão
AP
Mulher observa estrago causado na ilha de Izu Oshima, no Japão, após passagem de tufão

Japão: Tufão incomum ameaça Tóquio e prejudica transporte de petróleo

O tufão Wipha atingiu com mais força a ilha de Izu Oshima, que fica a 120 quilômetros de Tóquio. Equipes de resgate encontraram 16 corpos, a maioria deles soterrados por deslizamentos, informaram policiais e funcionários da prefeitura. Dezenas de casa ficaram destruídas e cerca de 45 pessoas estão desaparecidas.

Uma mulher de Tóquio morreu depois de cair em um rio e ser arrastada por 10 quilômetros pela correnteza, disse a polícia. Dois meninos e uma outra pessoa estão desaparecidos na principal ilha do Japão, Honshu, informou o Corpo de Bombeiros.

Na China:
180 km/h: Tufão deixa ao menos 20 mortos na China
Julho: Tufão deixa pelo menos um morto e evacua província

Mais de 350 casas foram danificadas ou destruídas, incluindo 283 em Izu Oshima.

O tufão provocou ventos de 126 km/h, antes de ser rebaixado para uma tempestade tropical na noite desta quarta-feira. A tempestade estava seguindo em direção noroeste, na costa da ilha de Hokkaido.

"As pessoas na ilha estão de alguma forma acostumadas a fortes tempestades, mas esse tufão estava além de nossa imaginação", disse Yutaka Sagara, chefe de cozinha na costa leste da ilha.

Com AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.