Após três dias, Venezuela libera navio de pesquisa malaio e tripulantes

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Navio foi alvo de disputa territorial entre Venezuela e Guiana; barco de pesquisa era de empresa dos EUA

Reuters

A companhia malaia proprietária do navio de pesquisa de petróleo contratado por uma empresa dos EUA, que foi detido pela Venezuela em uma disputa territorial com a vizinha Guiana, informou nesta terça-feira (15) que a embarcação e seus 36 tripulantes foram liberados.

Conheça a nova home do Último Segundo

AP
Barco da Guarda Costeira venezuelana para perto de navio da Teknik Perdana atracado na costa da ilha Margarita, Venezuela (13/10)

A SapuraKencana Petroleum agradeceu em comunicado ao governo do presidente venezuelano, Nicolás Maduro, por liberar o RV Teknik Perdana, detido pela Marinha da Venezuela na semana passada e levado para a ilha Margarita.

"Queremos expressar nossa gratidão ao governo venezuelano por se preocupar com a segurança e bem-estar da tripulação, com integrantes de várias nacionalidades, durante o tempo em que estiveram na ilha Margarita e também por liberar a embarcação", disse a companhia, sediada em Kuala Lumpur, no comunicado.

O barco de pesquisa estava sendo usado pela empresa texana Anadarko. A Venezuela disse que a embarcação violou as águas territoriais do país. A Guiana diz que o barco estava dentro de seu território marítimo e que a ação da Venezuela ameaçou a segurança nacional.

Leia tudo sobre: venezuelanavioguianamalásiapetróleo

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas