CIA desconfiou do comportamento de Snowden em 2009, diz jornal

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Antes de deixar emprego na agência, supervisor havia relatado 'mudança nos hábitos de trabalho' do delator

No momento em que Edward Snowden se preparava para deixar seu trabalho como técnico da CIA em Genebra no ano de 2009, seu supervisor escreveu um relatório depreciativo em seu arquivo pessoal, destacando uma mudança no comportamento e nos hábitos de trabalho do jovem, informou o jornal New York Times nesta sexta-feira (11).

Conheça a nova home do Último Segundo

Reprodução/ Guardian
Edward Snowden, que revelou o programa de monitoramento da NSA: 'Não tenho nenhuma intenção de esconder quem sou porque sei que não fiz nada de errado'

Segundo a publicação, que ouviu autoridades dos EUA, a CIA suspeitou que Snowden estava tentando invadir arquivos confidenciais de computadores, os quais ele não estava autorizado a ter acesso.

Moscou: Pai de Snowden vai à Rússia visitar filho asilado

1º de agosto: Snowden recebe asilo temporário da Rússia e deixa aeroporto

Mas, de acordo com o New York Times, o alerta foi ignorado. Snowden deixou a CIA para se tornar um contratado terceirizado da Agência Nacional de Segurança (NSA, sigla em inglês) e, quatro anos depois, vazou centenas de documentos confidenciais.

A nota de advertência do superior e as suspeitas da CIA aparentemente não foram encaminhadas à NSA ou às empresas contratantes e só vieram à tona quando investigadores federais começaram a examinar os registros de Snowden, informaram autoridades da polícia e da inteligência.

Lon: Pai de Snowden diz que recebeu pedido do FBI para visitar filho

NYT: Chat criptografado e reunião secreta possibilitaram expor programa

Os porta-vozes da CIA, NSA e FBI se recusaram a comentar sobre a natureza do alerta e por que ele não foi passado adiante. Seis policiais, autoridades de inteligência e do Congresso com conhecimento direto sobre a nota de advertência do supervisor falaram à reportagem em condição de anonimato.

Snowden hoje vive asilado em Moscou, na Rússia. Na noite de quarta, ele se encontrou com quatro delatores americanos que têm defendido seu caso nos EUA e que lhe presentearam com um prêmio que, segundo eles, é concedido anualmente por um grupo de agentes aposentados da CIA aos membros da comunidade de intligência "que apresentam integridade".

Denúncias pelo vazamento de Snowden:
Brasil: Leia todas as notícias sobre a espionagem no Brasil
Bild: Espionagem alemã usou dados de monitoramento dos EUA
Monitoramento: EUA mantêm ampla base de dados telefônicos
Prism: EUA coletam dados de nove empresas de internet
Jornal: EUA podem usar dados de inteligência sem mandado
Anfitrião: Reino Unido espionou autoridades do G20 em 2009
Guerra cibernética: EUA espionam computadores da China
Diplomatas: Europa exige respostas sobre supostos grampos dos EUA

Na quinta, o pai de Snowden, Lon, chegou a Moscou para ver seu filho depois de receber garantias dos assessores legais de Snowden de que "não haveria complicações" em organizar um encontro entre pai e filho.

Mas em uma entrevista por telefone ao final do dia também ao New York Times, Lon Snowden afirmou que ainda não tinha conseguido ver seu filho. "Não posso dizer a você o lugar e quanto", disse Lon. "Não tenho ideia. Eu espero que alguma coisa aconteça."

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas