Paquistanesa baleada pelo Taleban vence prêmio europeu de direitos humanos

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Jovem ativista Malala Yousafzai atacada por militantes por defender educação para mulheres conquistou Sakharov

Reuters

A jovem ativista paquistanesa Malala Yousafzai, atingida pelo Taleban com um tiro na cabeça no ano passado por defender melhores condições para as jovens, venceu o prêmio anual de direitos humanos da União Europeia na quinta-feira.

Conheça a nova home do Último Segundo

AP
Malala Yousufzai lê um livro enquanto se recupera no hospital Queen Elizabeth, no Reino Unido (foto de arquivo)

Sakharov: Snowden é indicado a prêmio de direitos humanos

Malala, de 16 anos, venceu o ex-prestador de serviço de uma agência norte-americana de espionagem Edward Snowden, que vazou documentos secretos sobre programas dos EUA de monitoramento de informações.

A jovem paquistanesa foi atacada no noroeste do Paquistão por um grupo de homens armados que abriu fogo contra o ônibus escolar em que ela estava. Malala também é favorita a receber o Nobel da Paz deste ano.

Em carta: Comandante do Taleban pede a Malala para se unir ao Islã

Na ONU: Paquistanesa baleada pelo Taleban comemora 16 anos com discurso

O caso: Taleban atira em paquistanesa defensora dos direitos das mulheres

O Prêmio Sakharov para liberdade de pensamento é oferecido pelo Parlamento europeu anualmente desde 1988 em homenagem ao cientista soviético e dissidente Andrei Sakharov. Entre os vencedores estão Nelson Mandela e a ativista de Mianmar Aung San Suu Kyi.

Malala foi escolhida em uma votação entre líderes de todos os grupos políticos do Parlamento de 750 membros.

Leia tudo sobre: malalasakharovparlamento europeuprêmio sakharovpaquistãotaleban

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas