Justiça da França arquiva acusações contra Sarkozy no 'caso Bettencourt'

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Ex-presidente havia sido acusado de receber doações ilegalmente para sua campanha eleitoral em 2007

O ex-presidente francês Nicolás Sarkozy foi inocentado nesta segunda-feira (7) das acusações de que pegou doações ilegalmente de empresária durante sua campanha eleitoral de 2007, informaram seu advogado e uma autoridade.

Leia mais: Gosto por luxo e acúmulo de poder marcaram imagem de Sarkozy

Reuters
O presidente da França, Nicolas Sarkozy, é visto no Palácio do Eliseu em Paris, um dia após perder eleição

França: Sarkozy é questionado por magistrados sobre campanha de 2007

Julho de 2012: Investigadores fazem buscas na casa e escritórios de Sarkozy

O anúncio provocou especulações de um retorno político para Sarkozy, que perdeu a presidência para o candidato socialista François Hollande no ano passado.

Citando falta de evidência, dois magistrados rejeitaram os argumentos de que Sarkozy levou vantagem do estado frágl de Lilane Bettencourt, herdeira da L'Oreal que tem 90 anos. 

"Estou feliz com a decisão, que já esperava", disse o advogado de Sarkozy, Thierry Herzog. Após deixar uma reunião particular em uma mesquita de Paris, Sarkozy acenou para as câmeras, mas não falou com jornalistas.

Dez outras pessoas - incluindo o ex-ministro das Finanças de Sarkozy, Eric Woerth - devem enfrentar julgamento no ano que vem por acusações no caso que incluem suposta fraude e lavagem de dinheiro.

Um ex-contador de Bettencourt disse à polícia que ela entregou cerca de 150 mil euros em dinheiro que teriam de ser passados para Woerth, tesoureiro da campanha de Sarkozy para a eleição de 2007. A quantia era superior ao máximo permitido para doações de campanha sob a lei francesa.

Após uma série de reportagens sobre o financiamento ilegal da campanha, que começaram a ser publicadas em 2010, autoridades começaram a investigar o caso, chegando até a figura do próprio Sarkozy. Em março deste ano, ele foi acusado preliminarmente, o que significava que os juízes possuíam razões para acreditar que alguma ilegalidade havia sido cometida. Mas depois de uma investigação mais profunda, a acusação contra Sarkozy foi derrubada por falta de evidências.

"A rejeição é uma boa notícia, mas eu não estou surpresa, pois as acusações eram completamente vazias", disse Patrick Balkany, um deputado da Assembleia Nacional e amigo de Sarkozy.

Com AP

Leia tudo sobre: sarkozyfrançabettencourtl'oreal

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas