Homem era procurado há 15 anos por atacar embaixadas norte-americanas na África

Reuters

O primeiro-ministro da Líbia, Ali Zeidan, pediu no domingo a autoridades norte-americanas que expliquem uma operação militar em Trípoli para capturar um líbio procurado por atacar embaixadas dos Estados Unidos na África há 15 anos, disse o gabinete do premiê.

Nazih al-Ragye, mais conhecido pelo nome de Abu Anas al-Liby, foi capturado por forças norte-americanas na capital Líbia no domingo, disse o Pentágono.

Relembre: Em abril, um cão farejador fazia inspeção em local onde carro-bomba explodiu, destruindo parte do prédio da Embaixada da França em Trípoli
AP
Relembre: Em abril, um cão farejador fazia inspeção em local onde carro-bomba explodiu, destruindo parte do prédio da Embaixada da França em Trípoli

Leia também: Participação de terroristas na morte de embaixador americano é 'evidente'

"O governo da Líbia está acompanhando as notícias do sequestro de um cidadão líbio que é procurado por autoridades dos Estados Unidos", disse o gabinete de Zeidan em um comunicado.

"O governo líbio entrou em contato com autoridades dos EUA para pedir que forneçam uma explicação."

Na última quinta-feira (3), a Rússia retirou todos os seus diplomatas e suas famílias da Líbia um dia após um ataque contra a embaixada russa e emitiu um alerta aos seus cidadãos para que evitem visitar o país.

O Ministério das Relações Exteriores afirmou que ninguém da equipe da embaixada ficou ferido no ataque de quarta, que ocorreu em resposta à morte de um oficial líbio da força aérea, supostamente assassinado por uma russa.

Relembre: Embaixador dos EUA na Líbia é morto em ataque em Benghazi

Em 2012: Manifestantes egípcios invadem Embaixada dos EUA no Cairo

Disparando tiros para o alto, um grupo armado invadiu a embaixada localizada na capital líbia, Trípoli, pulando o muro e quebrando um portão de metal. Um dos integrantes do grupo foi morto em uma troca de tiros e quatro outros ficaram feridos, segundo autoridades da Líbia.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Alexander Lukashevich disse em comunicado que Moscou decidiu esvaziar a embaixada depois que o chanceler líbio Mohamed Abdelaziz visitou o local e afirmou ao embaixador russo que não seria capaz de proteger a equipe.

*Com AP


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.