Herman Wallace, 71 anos, passou 41 anos na solitária em Louisiana; ele lutava contra um câncer no fígado

Um ex-membro do Partido dos Panteras Negras que passou 41 anos na solitária em Louisiana, nos EUA, morreu, três dias depois de ter sido libertado da prisão.

Conheça a história:  Ex-membro do Panteras Negras é libertado nos EUA

Herman Wallace conversa com sua equipe de advogados ao deixar centro de detenção nos EUA
AP
Herman Wallace conversa com sua equipe de advogados ao deixar centro de detenção nos EUA

Nos EUA: Saiba os principais fatos na luta pelos direitos civis

Os advogados de Herman Wallace, 71 anos, disseram que ele morreu nesta sexta-feira (4) em uma casa de apoio em Nova Orleans. Wallace lutava contra um câncer no fígado e estava em estado terminal.

O juiz Brian Jackson ordenou a soltura de Wallace da penitenciária de Louisiana na terça-feira, depois de garantir a ele um novo julgamento. 

50 anos: Discurso de Luther King reflete sonho universal por sociedade justa

Assista: Vídeo mostra discurso 'Eu tenho um sonho', de Luther King

Condenado no início dos anos 70 por homicídio, Wallace, um ex-integrante do Partido dos Panteras Negras, que lutava pelos direitos dos negros americanos principalmente nas décadas de 1960 e 1970, passou as últimas quatro décadas confinado em um espaço de menos de 6 m².

Durante o período, ele só saía para o banho de sol e era impedido de conviver com os demais presos.

Ele cumpria pena por homicídio na Penitenciária de Angola, no Estado da Louisiana. Ele e outro preso, Albert Woodfox, foram condenados à morte por esfaqueamento de um guarda prisional, Brent Miller, em abril de 1972.

Com AP e BBC


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.