Impasse fecha Estátua da Liberdade e frustra turistas nos EUA

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Estátua da Liberdade e outros 400 parques nacionais nos EUA foram fechados com paralisação do governo federal

Apesar da temperatura agradável, o clima no Parque Estadual da Liberdade, em Nova Jersey, era de frustração. Turistas de todo o mundo foram impedidos de visitar a Estátua da Liberdade, um dos pontos turísticos mais conhecidos dos EUA, em meio à paralisação de serviços não essenciais do governo americano.

Diante de impasse: Governo dos EUA entra em paralisação parcial

Setores afetados: Impasse põe 800 mil de licença sem remuneração nos EUA

AP
Turista lê placa anunciando o fechamento da Estátua da Liberdade, em Nova York, por paralisação do governo dos EUA

Presidente: Obama culpa 'cruzada ideológica' por paralisação do governo

Mais de 400 parques nacionais, incluindo a Ilha da Liberdade, foram fechados e os cerca de 800 mil funcionários públicos federais forçados a permanecer em casa de licença sem remuneração. Isso por que o Congresso não conseguiu chegar a um acordo até a meia-noite de segunda-feira em relação ao orçamento - algo que não acontecia há quase 20 anos.

O impasse se deveu à tentativa republicana de inviabilizar a reforma de saúde, principal bandeira doméstica do presidente do país, Barack Obama.

Partido Republicano: Ao paralisar governo, oposição abraça risco político

Entenda: Rixa sobre reforma de saúde de Obama agita votação no Congresso

Katharina S. Loland, da Noruega, descobriu que não conseguiria chegar perto do monumento somente depois que chegou ao píer no parque de Nova Jersey, um dos pontos de partidas para a ilha onde fica a Estátua da Liberdade.

Ela, que estava com seus dois filhos, decidiu, então, fazer um passeio de barco em volta do monumento. "Dissemos que estava tudo bem, porque não tivemos escolha", disse Loland ao jornal New York Times. "Um passeio de uma hora de barco é melhor que nada."

Tony Wang, 9 anos, de Pequim, viajava com seu pai e com sua tia e esperava ansiosamente pela visita à Estátua da Liberdade. "Não entendemos (o que acontece em Washington). O governo chinês nunca fecha", afirmou Haiyan Wang ao New York Times.

O fechamento da Estátua da Liberdade ocorre menos de três meses depois da sua reabertura ao público em 4 de julho, Dia da Independência. O monumento ficou fechado por oito meses por causa dos estragos causados na ilha pela supertempestade Sandy.

Segunda-feira: Senado rejeita orçamento da Câmara horas antes do prazo

Infográfico: Relembre os primeiros quatro anos de Obama no poder

Enquanto para alguns turistas o fechamento de pontos turísticos significa um obstáculo para suas férias, a paralisação que teve início nesta terça-feira significa licenças forçadas e sem remuneração para funcionários públicos. Para aqueles que ainda estão trabalhando - por serem considerados "essenciais" - significa atrasos nos pagamentos.

AP
Turista Tomoko Ida, de Tóquio, cobre sua boca quando ouve que a Estátua da Liberdade está fechada

"Eu tenho muitas responsabilidades - aulas, minha filha, contas", disse Smith, 23 anos, funcionário do Parque Nacional Dayton Aviation, em Ohio. "Estou confuso e aguardando, como todos os outros."

Enquanto a paralisação se aproximava na segunda-feira, os visitantes de parques populares expressaram sua frustração com os políticos. "Não há nada bom para tirar dessa situação", disse Chris Fahl, turista de Roanoke, Indiana, que visitava o Parque Nacional de Abraham Lincoln em Kentucky. "Os contribuintes só estão ficando mais sobrecarregados."

Emily Enfinger, visitando a Estátua da Liberdade na segunda, disse que políticos precisam encontrar uma forma de trabalhar juntos. "Eles deveriam ter vontade de se comprometer, ambos os lados, e isso me faz acreditar que eles não parecem capazes de fazer isso", disse. "Eles não estão fazendo seu trabalho até onde eu sei."

Com AP e New York Times

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas