Em nota dos Brics, Rússia e China manifestam preocupação com espionagem

Por Leda Balbino - Nova York* | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Chanceleres declaram como fundamental práticas universais para garantir a segurança no uso da internet

Os Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) manifestaram nesta quinta-feira (26) sua preocupação com as denúncias de espionagem relacionadas aos EUA e declararam ser importante “contribuir e participar em um espaço cibernético pacífico, seguro e aberto”, segundo nota divulgada após encontro dos chanceleres às margens da 68ª Assembleia Geral da ONU. No comunicado, os ministros também afirmaram que “a segurança no uso da tecnologia de informação e comunicação por meio de normas, padrões e práticas universalmente aceitos é de importância fundamental”.

De acordo com o chanceler brasileiro, Luiz Alberto Figueiredo Machado, o grupo chegou à conclusão de que a espionagem é um tema que afeta a todos e é necessário pensar um marco no âmbito da ONU para a internet.

Chanceler: Países se solidarizam com posição do Brasil contra espionagem

AP
O ministro das Relações Exteriores da Rússia Sergei Lavrov faz pronunciamento em Moscou (foto de arquivo)



Ao abrir o debate na Assembleia na terça-feira (24), a presidente Dilma Rousseff denunciou a espionagem americana em todo o mundo como uma atividade que fere a lei internacional, uma “grave violação dos direitos humanos e das liberdades civis” e uma “afronta aos princípios que devem guiar as relações entre os países. Em seu pronunciamento, Dilma também anunciou que o Brasil apresentará propostas para o estabelecimento de um marco civil multilateral para a governança e uso da internet para assegurar a efetiva proteção dos dados que navegam pela web.

ONU: Dilma diz que espionagem é 'afronta' e 'fere direito internacional'

Repercussão: Jornais internacionais destacam ataque 'feroz' de Dilma

Na quarta, Índia e África do Sul já haviam manifestado em nota do Ibas (grupo que também reúne o Brasil) apoio à posição brasileira. “Houve um entendimento do Ibas de que coordenaremos esforços para que os três países possam levar à frente um marco civil global de governança da internet”, disse Figueiredo Machado nesta quinta-feira.

Ibas: Índia e África do Sul manifestam apoio ao Brasil contra espionagem

O discurso de Dilma foi feito uma semana depois de ela ter cancelado uma visita de Estado programada para outubro.

Denúncias:
Após Dilma, Petrobras teria sido alvo de espionagem dos EUA
Presidente Dilma Rousseff foi alvo de espionagem dos EUA

O governo brasileiro justificou a medida afirmando que a administração de Barack Obama não forneceu ao Brasil explicações suficientes sobre a denúncia de que milhões de comunicações por email e telefones de brasileiros, incluindo as da própria presidente, de seus assessores e da multinacional Petrobras, foram monitorados pela Agência Nacional de Segurança (NSA, na sigla em inglês).

*Repórter viaja como bolsista da Dag Hammarskjöld Fellowship, da ONU

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas