‘Paz está ao alcance’, diz presidente do Irã em primeiro discurso na ONU

Por Leda Balbino - Nova York* |

compartilhe

Tamanho do texto

Em discurso, Rouhani defende ‘direitos nucleares pacíficos’ do Irã, mas reitera disposição ao diálogo

Em seu primeiro discurso perante uma Assembleia Geral da ONU, o presidente Hassan Rouhani defendeu nesta terça-feira os “direitos nucleares pacíficos” iranianos, mas reiterou que Teerã está disposto a retomar imediatamente as negociações sobre seu programa atômico e aberto a dialogar com os EUA para “discutir nossas diferenças”. “Deixe-me dizer em alto e bom som que a paz está ao alcance”, afirmou.

Obama na ONU: 'Caminho diplomático com Irã deve ser testado'

Empossado no cargo em agosto, essa foi a primeira aparição de Rouhani em um evento internacional. As negociações nucleares entre o Irã e seis potências mundiais (Alemanha, China, França, EUA, Reino Unido e Rússia) estão em um impasse há anos, mas o governo iraniano concordou em realizar uma nova reunião na quinta-feira, às margens da 68ª Assembleia Geral da ONU, em Nova York.

Na quinta-feira: Irã discutirá programa nuclear com potências, diz UE

AP
Hassan Rouhani insistiu, durante discurso, que o Irã não representa ‘nenhuma ameaça ao mundo’


Em seu pronunciamento, o líder insistiu que o Irã não representa “nenhuma ameaça ao mundo ou à região”, afirmando que armas nucleares, assim como outros armamentos de destruição em massa, “não têm lugar na doutrina de segurança e defesa do Irã”. Por conta disso, argumentou, qualquer eventual acordo sobre o programa nuclear do país deve ter como um de seus princípios “o direito do Irã ao enriquecimento de urânio” dentro de seu território.

O líder iraniano também usou seu discurso para criticar as sanções que estão em vigor contra o país, afirmando que seu único efeito é penalizar a população iraniana. “(As sanções) são violentas e violam direitos humanos inalienáveis”, declarou.

Previamente a Rouhani, o presidente dos EUA, Barack Obama, elogiou em seu discurso perante a Assembleia Geral a busca de um "curso mais moderado" pelo governo do Irã, mas afirmou que o país persa deve oferecer as bases para uma superação do impasse sobre o seu programa nuclear. Obama também encarregou o secretário de Estado John Kerry de manter o contato diplomático com Teerã.

Israel, por sua vez, mostrou não acreditar nos sinais de disposição ao diálogo de Teerã. Após o discurso de Rouhani, o primeiro-ministro do Israel, Benjamin Netanyahu, acusou o presidente iraniano de “hipocrisia”. Segundo o premiê israelense, o líder iraniano não ofereceu nenhum plano para suspender seu programa nuclear.

Israel: Mundo não deve se enganar com 'palavras suaves' do Irã

Para Israel, o Irã está desenvolvendo armas nucleares. “Essa é exatamente a intenção iraniana, falar e ganhar tempo com o objetivo de aprimorar sua habilidade de desenvolver armamento atômico”, afirmou.

*Repórter viaja como bolsista da Dag Hammarskjöld Fellowship, da ONU

Leia tudo sobre: assembleia geral 2013irãHassan Rouhanibarack obama

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas