Dilma se reúne com secretário-geral da ONU antes de discurso sobre espionagem

Por Leda Balbino -em Nova York* | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Expectativa é que discurso de presidente brasileira defenda internet livre e menor controle da rede mundial

A presidente Dilma Rousseff chegou nesta terça-feira (24) à sede das Nações Unidas para iniciar os debates da 68ª Assembleia Geral da ONU. A expectativa é de que a lider brasileira aborde a questão da espionagem americana e da crise na Siria. Antes de discursar, Dilma manteve um encontro com o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon.

Cristina Kirchner: Dilma enfrenta denúncia de espionagem com dignidade

AP
Presidente Dilma Rousseff se reúne com secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, em Nova York, EUA

TV: Presidente Dilma foi alvo de espionagem dos EUA

Após Dilma: Petrobras teria sido alvo de espionagem dos EUA

A primeira informação de que o Brasil seria alvo de espionagem surgiu no início de julho, quando o jornal O Globo publicou que milhões de emails e telefonemas de brasileiros seriam monitorados pela Agência de Segurança Nacional (NSA, na sigla em inglês).

Em setembro, a TV Globo informou haver indicações de que comunicações da própria Dilma, de seus assessores e da Petrobras foram espionadas pela NSA. As denúncias tiveram como base documentos vazados pelo ex-técnico da CIA Edward Snowden.

O discurso foi feito exatamente uma semana depois de Dilma ter cancelado a visita como chefe de Estado que faria a Washington em 23 de outubro com o argumento de que houve falta de explicação dos EUA sobre o caso.

Sem condições: Dilma diz que cancelou viagem por 'ausência de apuração'

Terça: Espionagem deve marcar discurso de Dilma na Assembleia Geral da ONU

Em 2011, a presidente se tornou a primeira mulher a discursar na abertura dos trabalhos da principal reunião de chefes de Estado do órgão, tradicionalmente iniciada por brasileiros desde 1947. Antes de discursar, a líder brasileira manteve um encontro bilateral com o secretário-geral da ONU, Ban ki-moon.

Realizada anualmente na sede da ONU, em Nova York, a Assembleia é o único fórum oficial a contar com a presença de representantes de todos os 193 países-membro da organização. Neste ano, o evento reúne aos menos 131 chefes de Estado e governo, além de ao menos 60 ministros de Relações Exteriores. O tema deste ano é “Agenda de Desenvolvimento Pós-2015: Preparando o Cenário”, em referência aos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, estabelecidos pela ONU em 2000 para ser alcançados até 2015.

Dilma volta à ONU às 15h (16h em Brasília) desta terça para a primeira reunião do Fórum de Alto Nível de Desenvolvimento Sustentável, que reúne ministros de Meio Ambiente anualmente e chefes de Estado a cada quatro.

A meta é implementar as metas estabelecidas no documento final da Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável, Rio+20, intitulado “O Futuro que Queremos”. Na quarta-feira, em seu último dia em Nova York, a presidente brasileira participa de um seminário do banco Goldman Sachs.

*Repórter viaja como bolsista da Dag Hammarskjöld Fellowship, da ONU

Leia tudo sobre: assembleia geral 2013dilma rousseffonuban ki moon

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas