Irã apresentará na ONU 'face verdadeira' do país, diz presidente

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Antes de embarcar para a Assembleia Geral da ONU, Hasan Rouhani critica sanções e acena para discurso moderado

Reuters

O presidente iraniano, Hassan Rouhani, disse nesta segunda-feira (23) que aproveitará sua visita à Organização das Nações Unidas (ONU) esta semana para apresentar a "face verdadeira do Irã" e buscar conversações e cooperação com o Ocidente para encerrar a disputa nuclear com o país.

Soltura de presos políticos: Ativista de direitos humanos é libertada no Irã

Obama: Debate sobre a Síria é 'lição' de diplomacia para o Irã

AP
Presidente do Irã, Hasan Rouhani, concede entrevista em Teerã, capital do país (10/9)


Rouhani: Irã 'atuará para impedir ataque contra Síria, que destruiria Israel'

Conservador moderado eleito em junho, Rouhani deu a declaração pouco antes de uma viagem de cinco dias a qual potências ocidentais esperam que ele possa mostrar uma nova disposição da parte do Irã para fechar um acordo sobre um programa nuclear que, na sua avaliação, poderia resultar na fabricação de uma bomba atômica.

O Irã tem afirmado repetidamente que suas atividades nucleares são pacíficas, mensagem que procurou enfatizar nesta segunda-feira com a transferência em etapas, por empresas russas, do controle da única usina nuclear do país para engenheiros iranianos.

ONU: Irã expande capacidade avançada de enriquecimento de urânio

Discurso de posse: Novo presidente do Irã pede fim das sanções do Ocidente

"Infelizmente, nos últimos anos a face do Irã, uma nação grande e civilizada, foi apresentada de outro modo", disse Rouhani, de acordo com comentários publicados em sua página oficial na internet. "Eu e meus colegas aproveitaremos a oportunidade para apresentar a verdadeira face do Irã, como um país culto e amante da paz."

Rouhani não deixou claro quem ele culpa pela distorção da imagem do Irã. Mas os comentários deram a entender que ele pretende se distanciar da abordagem controvertida em relação ao Ocidente adotada por seu predecessor, Mahmoud Ahmadinejad.

Novo presidente: Irã está pronto para retomar as negociações nucleares

Os EUA e seus aliados impuseram um número crescente de sanções econômicas ao Irã nos últimos anos, em parte uma resposta ao que eles consideram como fracasso do Irã em abrir seu programa nuclear a inspeção internacional.

Ahmadinejad também causou preocupação com seus comentários sobre o Holocausto e a homossexualidade. Israel deixou claro que poderá lançar um ataque contra o Irã se o país estiver próximo da aquisição de armas nucleares.

Abril: Irã anuncia novos projetos nucleares após fracasso em negociação

Janeiro: Desafiador, Irã planeja acelerar enriquecimento de urânio em Natanz

Rouhani, um ex-negociador nuclear no governo do presidente Mohammad Khatami, criticou o Ocidente pelas sanções, dizendo que infligiram sofrimento aos iranianos. "Nesta viagem, vou tentar apresentar ao mundo a voz do oprimido povo do Irã. Devemos dizer que as sanções são ilegais e um caminho inaceitável", afirmou ele a jornalistas antes de partir, segundo relato em seu website. "O Ocidente deveria optar pelo caminho das conversações e cooperação, e levar em consideração os interesses mútuos."

Sanções afetam o país

Rouhani prometeu melhorar a abalada economia iraniana, que tem sofrido profundamente com os embargos. Na semana passada, o tom adotado por Rouhani foi endossado pela figura mais poderosa do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, que falou em "flexibilidade heroica", sugerindo uma nova disposição para a diplomacia nas relações com os adversários do país.

Agosto: Líder supremo confirma Rohani como novo presidente do Irã

Autoridades dos EUA deixaram aberta a possibilidade de o presidente norte-americano, Barack Obama, e Rouhani se encontrarem à margem da Assembleia da ONU.

O ministro de Relações Exteriores do Irã e negociador-chefe na área nuclear, Mohammad Javad Zarif, tem marcada uma reunião com a chefe de política externa da União Europeia, Catherine Ashton, que iniciará formalmente a nova era de negociações entre as duas partes.

Segundo a agência estatal iraniana de notícias Irna, uma fonte não identificada, próxima aos negociadores do Irã, afirmou que as conversações entre os dois lados foram "completamente transformadas" pela eleição de Rouhani. "Este é um novo jogo, terá novas regras e o objetivo é chegar a pontos de concordância entre os dois lados", afirmou a fonte, de acordo com a Irna.

Rouhani descreveu a transferência da usina nuclear de Bushehr pelos engenheiros russos como um "evento abençoado".

Leia tudo sobre: assembleia geral 2013onuirãprograma nucleareuarouhani

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas