Apesar de vitória nas urnas, Merkel precisa buscar apoio da centro-esquerda

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Chanceler entrou em contato com social-democratas após melhor resultado eleitoral em mais de 20 anos

A chanceler alemã, Angela Merkel, enfrenta a perspectiva delicada de persuadir os rivais da centro-esquerda a mantê-la no poder, após seu partido conservador ter obtido o melhor resultado eleitoral em mais de duas décadas, mas sem alcançar a maioria absoluta.

Resultados oficiais: Angela Merkel vence eleição na Alemanha

AP
Chanceler alemã, Angela Merkel, sorri durante coletiva após reunião do seu partido em Berlim

Temas, sistema eleitoral, cenário: Entenda a eleição da Alemanha

Alemanha: Direitos dos homossexuais vira principal tema na campanha

Até os adversários políticos reconhecem que a chanceler foi a grande vencedora da primeira eleição alemã desde o início da crise da dívida da zona do euro em 2010, que levou a filha de um pastor da Alemanha Oriental ao papel de principal líder da Europa.

O bloco conservador de Merkel ficou com 41,5% dos votos, o melhor resultado desde 1990 e apenas cinco assentos abaixo de obter maioria absoluta na câmara baixa do Bundestag (Parlamento) pela primeira vez em mais de meio século.

Eleições:
Pesquisa: Coalizão de Merkel e oposição estão em disputa acirrada
Disputa: Partido de Merkel enfrenta teste nas urnas em Estado alemão

Os social-democratas (SPD, na sigla em alemão), com quem Merkel governou em uma "grande coalizão" bem-sucedida em seu primeiro mandato (2005-2009), terminaram em segundo lugar, com 25,7%, pouco acima de seu pior resultado do pós-guerra, ocorrido em 2009.

Os verdes receberam 8,4% dos votos, bem abaixo da votação de 2009. O único outro partido no Bundestag será o radical A Esquerda, que teve 8,6%. O atual parceiro de coalizão de Merkel, o Partido Democrático Liberal, não obteve o mínimo de 5% para ingressar no Parlamento.

Chanceler: Angela Merkel, a 'impiedosa operadora política' da Alemanha

Nesta segunda-feira, Merkel afirmou ter entrado em contato com o SPD sobre a formação de uma possível coalizão após a eleição de domingo, mas não descartou falar com outros possíveis parceiros.

"Nós conservadores temos um mandato claro para formar um governo, e a Alemanha precisa de um governo estável, então vamos cumprir esse mandato", disse. "Nós estamos, é claro, abertos a conversas e eu já tive um contato inicial com o presidente do SPD (Sigmar Gabriel), que disse que o SPD precisa primeiro realizar uma reunião de seus líderes, na sexta-feira."

Com Reuters

Leia tudo sobre: eleições na alemanhamerkelalemanha

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas