Suspeito de cometer o crime pertence a um partido de extrema-direita; funeral e Pavlos Fyssas reúne centenas

Centenas de gregos se reuniram nesta quinta-feira (19) em um cemitério a oeste de Atenas para o funeral de um músico de 34 anos esfaqueado até à morte em um crime atribuído a um integrante do partido de extrema-direita Golden Dawn.

Neonazista: França prende norueguês suspeito de planejar ataque terrorista

Subterrâneo Nacional Socialista: Julgamento põe polícia alemã na berlinda

Tropas de choque da polícia passam por uma lata de lixo queimando em frente ao Banco da Grécia durante um protesto em Thessaloniki (18/9)
AP
Tropas de choque da polícia passam por uma lata de lixo queimando em frente ao Banco da Grécia durante um protesto em Thessaloniki (18/9)

Em maio: Partido húngaro reúne centenas em manifestação antissemita

Pavlos Fyssas, um cantor de hip hop com o nome artístico de Killah P descrito como um ativista antifascista, morreu na quarta-feira em decorrência dos ferimentos de duas facadas na saída de uma cafeteria na região de Keratsini. A polícia prendeu um suspeito que admitiu a morte e se identificou como um integrante do Golden Dawn.

O ataque causou indignação na Grécia e ao redor do mundo, provocando uma condenação em todo o espectro político, que exige uma repressão sobre o partido extremista. Partidários do Golden Dawn são notórios por seu comportamento delinquente e pela realização de ataques violentos contra imigrantes.

Alemanha:  Twitter bloqueia perfil de grupo neonazista

Em 2012: Omissão com neonazistas derruba chefe da espionagem alemã

"Esse governo está determinado a não permitir que os herdeiros do nazismo envenenem nossa vida social, cometa crimes, aterrorisem e minem as fundações do país que foi berço da democracia", disse o primeiro-ministro Antonis Samaras em um breve comunicado à nação na quinta.

O Golden Daws insiste que não tem conexão com o crime e condenou o ataque.

Protestos anti-fascistas foram palco de violência na noite de quarta-feira, incluindo a segunda maior cidade do país, Thessaloniki e em Keratsini, próximo ao local do ataque, com manifestantes atirando pedras contra a tropa de choque da polícia, que lançou gás lacrimogêneo e bombas de efeito moral.

Em Keratsini, 130 pessoas foram detidas durante os confrontos, e 34 foram presas. Confrontos também foram registrados nas primeiras horas de quinta-feira em frente à sede da polícia de Atenas, para onde os detidos foram levados.

Perfil: Neonazistas 'discretos' preocupam autoridades alemãs

Mais cedo, amigos da vítima e residentes colocaram flores e velas no local do ataque. O chefe de um pequeno partido de oposição de direita, Panos Kamenos do Gregos Independentes, foi brevemente atacado por manifestantes quanto tentou visitar o local.

O suspeito pela morte de Fyssas compareceu a uma audiência na quarta-feira à noite e teve três dias para preparar sua defesa. Ele deve voltar ao tribunal no sábado. Sua mulher e dois suspeitos que também foram presos acusados de tentar esconder provas de sua ligação com o Golden Dawn.

O suspeito do assassinato, de 45 anos, não teve seu nome divulgado, em cumprimento à lei grega que proíbe a identificação em casos com circunstâncias particulares. Entretanto, blogs fizeram circular seu nome e sua foto.

Manifestantes entram em confronto com a tropa de choque durante protesto após esfaqueamento em Keratsini perto de Atenas
AP
Manifestantes entram em confronto com a tropa de choque durante protesto após esfaqueamento em Keratsini perto de Atenas

O Golden Dawn, cujos membros de alto escalão expressam admiração por Adolf Hitler embora neguem serem neonazistas, conquistou aproximadamente 7% de votos nas eleições gerais de 2012.

O grupo de direitos Anistia Internacional afirmou que as autoridades devem evitar quaisquer incidentes. "Violência com motivação política é o tipo de crime inaceitável em qualquer lugar, e a história mostra consequências desagradáveis se não são controladas", disse Jezerca Tigani, vice-diretora do programa de Anistia para Europa e Ásia Central. "As autoridades gregas devem enviar uma clara mensagem que ataques como esse não serão tolerados."

Com AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.