Crianças encontram 10 corpos algemados e vendados na capital do Iraque

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Guerra civil na Síria intensificou tensões sectárias no Iraque, aumentando os episódios de violência no país

Reuters

Crianças encontraram corpos de 10 homens não identificados, aparentemente assassinados com tiros na cabeça, no leste de Bagdá nesta quinta-feira (19), informou a polícia do Iraque.

Bagdá: Série de atentados mata 70 em áreas xiitas no Iraque

Violência: Bombas e tiroteios matam pelo menos 47 pessoas no Iraque

AP
Corpos de vítimas de ataques à bomba são levadas ao enterro na cidade sagrada xiita de Najaf, no Iraque (18/9)

ONU: Violência no Iraque deixou mais de mil mortos em julho

A polícia disse que moradores disseram ter percebido movimentações pouco usuais de veículos em um prédio abandonado na área, despertando a curiosidade das crianças, que esperaram a saída dos carros para investigar.

"Diversas crianças pularam o muro do prédio e encontraram 10 corpos em um dos recintos", disse um policial envolvido na investigação. Não estava claro quem era responsável pelas mortes.

Iraque: Militantes da Al-Qaeda escapam de prisões em violenta fuga em massa

Mais: Homens armados invadem casa e matam policial e sua família no Iraque

A guerra civil na vizinha Síria, que intensificou as tensões sectárias por todo Oriente Médio, tem revigorado a insurgência sunita no Iraque, que também se aproveita do decontentamento em geral da população sunita minoritária.

Diversos incidentes no Iraque também sugerem que milícias xiitas, que até agora tem se mantido não violentas, podem voltar a se engajar. Outras 10 pessoas foram mortas na quinta em dois atentados a bomba: um dentro de um mercado em Abu Ghraib, no oeste de Bagdá, e um segundo próximo a uma loja de conserto de geladeiras em al-Nasr wal-Salam, a cerca de 15 quilômetros a leste da cidade de Falluja, em que morreram oito pessoas.

"Quando houve a explosão, vimos algumas pessoas mortas, a maioria de mulheres", disse o proprietário de uma loja de roupas Ayad Mohammed em al-Nasr wal-Salam. "Ambulâncias não puderem se aproximar do local, então carregamos os feridos até a rua principal".

Cerca de 800 iraquianos foram mortos em atos de violência em agosto, com Bagdá sendo um dos locais mais afetados, de acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU).

Leia tudo sobre: iraquesunitaxiitaviolênciaoriente médio

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas