Berlusconi não teria sido julgado se fosse gay, diz presidente russo

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Ex-primeiro-ministro italiano foi condenação por fazer sexo com dançarina quando ela era menor de idade

Reuters

O presidente russo, Vladimir Putin, manifestou apoio a seu velho amigo Silvio Berlusconi nesta quinta-feira (19), dizendo que o ex-primeiro-ministro italiano não teria sido julgado por ter mantido relações sexuais com uma menor de idade se ele fosse homossexual.

Confira página especial iGay

Russia proibirá adoções por casais gays estrangeiros

Ativista pró e anti-gay russos são presos após proibição de manifestações

"Berlusconi está sendo julgado porque convive com as mulheres. Se ele fosse homossexual, ninguém iria levantar um dedo contra ele", disse Putin em encontro com jornalistas e especialistas russos.

Na TV, Berlusconi promete continuar na política mesmo se perder mandato

AP
Comentário de Putin provocou risos na plateia

O comentário de Putin provocou risos na plateia sobre o que parecia ser uma referência às críticas no exterior sobre uma lei que ele sancionou neste ano proibindo a difusão de "propaganda homossexual" entre menores na Rússia.

Leia também:

Tortura e assassinato reacendem discussão sobre homofobia na Rússia

Rússia tramita projeto de lei para proibir 'propaganda gay'

Berlusconi está apelando contra a condenação de pagar para ter sexo com uma ex-dançarina de cabaré quando ela era menor de 18 anos. Ele também foi condenado por fraude fiscal.

Ele e Putin se consideram amigos e o ex-espião da KGB provou sua fidelidade dizendo em uma conferência em 2011 que "por mais que importunem o senhor Berlusconi por sua atitude especial com o belo sexo ... ele tem se mostrado um estadista responsável".

Leia tudo sobre: MUNDORUSSIAPUTINBERLUSCONIiGay

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas