Navio Costa Concordia é erguido após 19 horas de operação na Itália

Por Reuters | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Projeto foi um dos mais caros e complexos de recuperação de naufrágios em todos os tempos

Reuters

Equipes de resgate na ilha italiana de Giglio ergueram o navio de cruzeiro Costa Concordia durante a madrugada desta terça-feira (17), completando um dos mais complexos e caros projetos de recuperação de naufrágios em todos os tempos.

Montagem: Vídeo de um minuto resume 19 horas de resgate do Concordia

Segunda: Operação para erguer Costa Concordia deve atravessar a madrugada

Itália: Engenheiros iniciam operação para erguer navio Costa Concordia 

AP
Navio Costa Concordia tem posição corrigida após operação


Relembre o caso: Navio naufraga e deixa mortos na Itália

Infográfico: Saiba como será o resgate do Costa Concordia

Em uma operação com 19 horas de duração, que terminou às 4h da manhã (23h de segunda-feira em Brasília), o navio de 114,5 mil toneladas foi endireitado por uma série de enormes cabos e deixado em repouso sobre plataformas submarinas artificias instaladas no leito rochoso do mar.

O sucesso da operação foi anunciado em um breve comunicado pelo chefe da Autoridade de Proteção Civil, Franco Gabrielli, enquanto dezenas de moradores, que viveram com os destroços da embarcação por mais de um ano, comemoraram com as equipes de salvamento.

Naufrágio na Itália: Saiba o que aconteceu com o Costa Concordia

Julgamento: Cinco são condenados à prisão pelo acidente no Costa Concordia

"Acho que toda a equipe está orgulhosa do que alcançou. Muita gente disse que não poderia ser feito", disse Nick Sloane, engenheiro sul-africano que participou da coordenação da operação.

O Concordia, um navio de 290 metros de comprimento que transportava mais de 4 mil passageiros e tripulantes, bateu e tombou na costa italiana, deixando 32 mortos, em 13 de janeiro de 2012. O navio chegou muito perto de terra e atingiu rochas pontiagudas, que fizeram um rasgo no casco da embarcação.

A operação de resgate tem um custo estimado em mais de 600 milhões de euros (US$ 795 milhões de dólares) - valor superior à metade do prejuízo coberto por seguros, que ultrapassou US$ 1,1 bilhão.

Leia tudo sobre: costa concordianavioitáliaengenhariagiglioconcordiaschettino

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas