Kaesong estava ociosa desde abril por causa de tensões políticas entre Seul e Pyongyang, em guerra desde 1950

Reuters

Operários sul-coreanos cruzaram nesta segunda-feira (16) a fronteira com a Coreia do Norte, onde o polo industrial binacional de Kaesong foi reativado, após cinco meses de paralisação por causa de tensões políticas.

Agosto: Coreia do Norte recua em minutos após Seul ameaçar fim da Kaesong

Funcionário norte-coreano trabalha em fábrica sul-coreana no parque industrial Kaesong (foto de arquivo)
AP
Funcionário norte-coreano trabalha em fábrica sul-coreana no parque industrial Kaesong (foto de arquivo)

Junho: Coreias concordam em dialogar sobre complexo industrial conjunto

Maio:  Coreia do Norte permite entrada de sul-coreanos na Kaesong

O parque industrial é um raro símbolo de aproximação entre as duas Coreias, mas ele estava ocioso desde abril, quando a Coreia do Norte impediu a entrada de trabalhadores sul-coreanos . A reativação marca agora um período de degelo nas relações bilaterais, o que inclui a retomada do diálogo entre os dois governos, tecnicamente em guerra desde 1950.

Centenas de caminhões e trailers sul-coreanos carregados com matérias-primas cruzaram a fronteira. Os trabalhadores faziam fila para converter dinheiro em dólares, e levavam cigarros sul-coreanos para os colegas do norte, o que é uma forma de fazer amizade.

Em meio a tensões: Coreia do Norte impede entrada de sul-coreanos na Kaesong

Abril: Coreia do Sul retira trabalhadores de parque industrial conjunto com Norte

"Vou cumprimentar os norte-coreanos com um ‘feliz Chuseok', porque somos ambos coreanos", disse o operário Kim Chung-jin, referindo-se a um feriado norte-coreano de ação de graças celebrado nesta semana.

Kaesong tem grande importância econômica para a Coreia do Norte. Lá, 123 empresas sul-coreanas fabricam utensílios domésticos que geram quase US$ 2 bilhões por ano em comércio com a Coreia do Sul, além de US$ 80 milhões por ano em salários para a Coreia do Norte.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.