Juan Manuel Santos tenta dar início a um Pacto Nacional Agrário, além de aprovar decretos para conter campesinos

Presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, concede entrevista coletiva com José Miguel Insulza (foto de arquivo)
Reuters
Presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, concede entrevista coletiva com José Miguel Insulza (foto de arquivo)

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, propôs na sexta-feira (13) um pacote de políticas agrárias para tentar conter os distúrbios no campo e a greve geral que atinge o país há três semanas, provocando inclusive a troca de cinco ministros do governo.

Em agosto: Presidente da Colômbia convoca soldados para patrulhar Bogotá após protestos

Leia também: Colômbia 'está pronta' para negociar com ELN

De acordo com o jornal espanhol El País, o presidente tenta dar início ao chamado Pacto Nacional Agrário, cuja primeira reunião aconteceu na sexta.

Participaram do encontro sindicalistas e membros do governo, entretanto, nenhum representante dos pequenos proprietários, como o movimento Dignidade Agropecuária Nacional, que agrupa pequenos produtores de café, cacau, batatas, entre outros, participou da reunião pois afirmam não se sentirem representados pelos grandes sindicatos.

O Pacto Nacional Agrário foi produzido na última semana pelo governo Santos para construir "uma verdadeira política agropecuária, moderna e equitativa para o futuro".

Relatório: Conflito armado matou 220 mil em 54 anos na Colômbia

Apesar de no início dos protestos o presidente colombiano ter minimizado os protestos e suas demandas, agora ele concentrou seu discurso no tema agrário, junto às negociações de paz com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), como o principal assunto de sua agenda. "Vamos refundar o campo colombiano", disse durante o lançamento do pacto na capital Bogotá.

No mesmo dia, Santos anunciou a ratificação de uma série de decretos que vão ao encontro de algumas exigências dos camponeses que mantiveram algumas estradas do país bloqueadas desde a semana passada. Entre outras medidas, estão o controle dos preços dos fertilizantes e pesticidas e a remoção de tarifas para 25 insumos agrícolas.

Um outro compromisso é a criação de um viceministério para o Desenvolvimento Rural, subordinado ao Ministério da Agricultura, segundo informações do jornal colombiano El Tiempo.

O presidente também falou sobre a necessidade de um censo rural, de um programa de distribuição gratuita de terras e da redução da pobreza. Também foi anunciada a retomada do comércio com a Venezuela, que comprará US$ 600 milhões em produtos agropecuários da Colômbia, aumentando as exportações em 20%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.