Dois afegãos que faziam segurança no complexo em Herat morreram após explosão e tiros; 17 ficaram feridos

Militantes do Taleban detonaram exploxivos em carros bombas perto do consulado dos EUA no oeste do Afeganistão na manhã desta sexta-feira (13), provocando um tiroteio com as forças de segurança em um ataque que deixou dois afegãos mortos e 17 feridos. Os EUA informaram que sua equipe na missão estava segura e que a maior parte dela foi transferida para Cabul, enquanto forças americanas faziam a segurança do local.

Afeganistão: Bomba mata 14 mulheres e crianças; presidente pede paz

Equipes de segurança vistoriam local de ataque perto do Consulado dos EUA em Herat, província a oeste de Cabul, Afeganistão
AP
Equipes de segurança vistoriam local de ataque perto do Consulado dos EUA em Herat, província a oeste de Cabul, Afeganistão

3 de agosto: Homens-bomba atacam consulado da Índia no Afeganistão

Relatório da ONU: Violência no Afeganistão mata cada vez mais civis

O ataque na cidade de Herat levanta preocupações em relação à insegurança no Afeganistão enquanto tropas lideradas pelos EUA reduzem sua presença antes de uma retirada completa das forças no ano que vem. O atentado ocorreu dois dias depois do aniversário de 12 anos dos ataques de 11 de Setembro , e foi uma dura realidade para os afegãos que, na quinta-feira, comemoravam o primeiro campeonato internacional de futebol.

Qari Yousef Ahmadi, porta-voz do Taleban, reivindicou responsabilidade pelo ataque de Herat em um telefonema à agência AP. Autoridades afegãs e americanas forneceram informações diferentes sobre o que aconteceu. Segundo o general Rahmtullah Safi, chefe de polícia de Herat, o ataque começou às 6h, quando militantes em uma caminhonete e uma van detonaram os explosivos nos veículos e dispararam contra forças de segurança afegãs que faziam a guarda do complexo na cidade.

Junho: Forças do Afeganistão assumem liderança da segurança em todo país

Um policial e um guarda afegãos foram mortos, embora não tenha ficado claro se eles foram atingidos pelas explosões ou pelos tiros. Ao menos sete militantes foram mortos, incluindo os dois motoristas dos veículos com explosivos.

Marie Harf, do Departamento de Estado americano, disse em comunicado que o ataque começou às 5h20, quando "um caminhão carregando militantes se dirigiu em direção ao portão frontal, e os militantes - possivelmente lançando granadas e disparando tiros - começaram a atacar forças afegãs e guardas do lado de fora dos portões. Pouco depois, o caminhão explodiu, danificando o portão".

Saiba mais: Entenda por que o Afeganistão é estratégico

Cenário: Invasões e conflitos marcam história do Afeganistão

Autoridades afegãs e americanas condenaram o ataque. O chanceler afegão disse que isso "ilustra tanto o desespero dos inimigos do Afeganistão quanto seu hediondo e completo desrespeito pela vida e pela paz dos cidadãos do Afeganistão".

O embaixador dos EUA para Cabul James Cunningham disse em comunicado: "Estamos profundamente entristecidos por essas perdas de vida sem sentido, e nossas orações vão para as vítimas e suas famílias. Esperamos pela rápida recuperação dos feridos".

Com AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.